Parques Nacionais da Espanha, cem anos e mais de 239 milhões de visitantes desde 1996

Parque Nacional do Teide é o mais visitado do período, de origem vulcânica, com espécies endêmicas como o tajinaste vermelho.

Parques Nacionais da Espanha, cem anos e mais de 239 milhões de visitantes desde 1996

Mais de 239 milhões de viajantes que visitaram desde 1996, um dos 15 espaços da Rede Nacional de Parques da Espanha, cujos dois primeiros celebrará o seu centenário: Picos de Europa (criado em julho de 1918) e Ordesa e Monte Perdido, declarado Parque Nacional tal dia como hoje de 1918.

Ao todo foram 239.926.462 pessoas em 22 anos, de acordo com o Ministério da transição ecológica (Miteco).

Na Espanha, pioneira na Europa em apostar na proteção da natureza - a Lei dos Parques Nacionais foi aprovada em 1916 - o afluxo de visitantes cresceu, principalmente a partir de 2000, quando ultrapassou dez milhões de ingressos e em 2017 com seu recorde: 15,5 milhões de turistas/ano.

O mais visitado é o Parque Nacional de Teide, com características vulcânicas como o endemismo tajinaste vermelho (Echium wildpretii), uma das plantas mais espetaculares na área, que é um Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Este Parque recebeu de 1996 a 2017 mais de 73 milhões de visitantes, com uma média anual de 3.323.981 pessoas, e no último ano alcançou 4,3 milhões de entradas.

Em segundo lugar o Picos da Europa um exemplo de ecossistemas na alta montanha do Atlântico, geomorfología glacial, desfiladeiros e lagos, florestas e prados, veados, lobos e ursos.

A Reserva da Biosfera, é responsável por mais de 39 milhões de visitas, com uma média de 1,7 milhões por ano e um ano de "pico", em 2004, no qual recebeu 2.221.761 entradas.

O Parque Nacional de Timanfaya, em Lanzarote, paisagem vulcânica mais recente das Canárias, com erupções recentes registrados no século XVIII, tem atraído a partir de 1996 cerca de 36,5 milhões de visitantes, 1,6 milhões de média e 2001 como registro com 1.866.000 entradas.

Em La Gomera é o Parque Garajonay, que ocupa 10% da ilha, com uma vegetação única e densa, devido ao nevoeiro que cobre e tem uma das melhores florestas de louro que resistem desde o Terciário.

Suas paisagens de formações rochosas e grandes blocos rochosos foram visitados por 15,7 milhões de turistas desde 1996 e uma média de 715.964 pessoas.

Ordesa e Monte Perdido (Huesca), que hoje completa cem anos de sua declaração, adiciona 13.395.264 visitantes ao longo dos últimos 22 anos, a paisagem de cumes, desfiladeiros, vales e canyons moldadas pela ação glacial.

Além disso, entre os mais visitados, o último espaço é o Parque Nacional, a Serra de Guadarrama, entre Madrid e Segovia, em 2013. Em seus cinco anos o parque registrou 12.077.508, com uma média de 2.415. 501 Em 2015, atingiu seu recorde: 2,9 milhões de ingressos.

O internacionalmente conhecido Parque de Doñana, registrou desde 1996 quase 11 milhões de visitantes, com uma média de 497.873. Entre seus ilustres visitantes estão o rei Alfonso X, o pintor Francisco de Goya e, recentemente, políticos internacionais como Angela Merkel.

Em suas areias naturalistas José Antonio Valverde e Francisco Bernis, juntamente com o Marquês de Bonanza, Mauricio González-Gordon, dono de uma fazenda faziam parte da "Sociedade Espanhola de Ornitologia" e o Fundo Mundial para a Natureza (WWF ) com o naturalista Luc Hoffman, que demonstrou a importância estratégica da área para as migrações de aves entre a Europa e a África.

Nos Pirenéus de Lleida, o parque de Aigüestortes e Sant Maurici Lake, como mostrado alta montanha Atlântico, sobe a 3.000 metros, com geleiras, florestas de coníferas e prados alpinos.

Desde 1996, 8,3 milhões de visitantes passaram por Aigüestortes, com uma média de 381.376 e seu maior número em 2016, com 586.336.

A Sierra Nevada na Andaluzia, juntou desde 1999 um total de 10,957,178 visitantes a este espaço tem quinze picos com mais de 3.000 metros e tem 2.100 espécies listadas, de anfíbios, répteis, mamíferos e aves. EFE



Notícias relacionadas