EUA extraditam suspeita de crimes de guerra à Bósnia

Azra Basic, mulher croata de 57 anos, é acusada de cometer atrocidades na cidade bósnia de Derventa durante a guerra de 1992-95.

EUA extraditam suspeita de crimes de guerra à Bósnia

Os EUA extraditaram Azra Basic, uma mulher croata de 57 anos acusada de cometer crimes de guerra durante a guerra dos anos 90, às autoridades da Bósnia, informou o Ministério Público bósnio em comunicado na terça-feira.

De acordo com a declaração, Basic foi entregue a funcionários bósnios no Aeroporto Internacional de Sarajevo, disse o comunicado.

Basic é acusada de matar civis sérvios e torturar muitos prisioneiros de guerra na cidade de Derventa, no norte da Bósnia, durante a guerra de 1992-95. Ela havia deixado a Bósnia e Herzegovina depois da guerra e se mudou para o Kentucky nos Estados Unidos.

As autoridades bósnias emitiram um mandado internacional para Basic em 2006 e solicitaram a sua extradição dos Estados Unidos em 2007.

As autoridades dos Estados Unidos levaram a Basic à prisão em 2011. Espera-se agora que ela seja apresentada a um tribunal na Bósnia e Herzegovina.

Centenas de milhares de pessoas foram mortas durante a Guerra da Bósnia, com milhões de pessoas fugindo de suas casas e mais de 50.000 mulheres estupradas.

A guerra de três anos e meio terminou com os Acordos de Dayton assinados em dezembro de 1995 entre a extinta República Federativa da Iugoslávia, a República da Bósnia e Herzegovina e a Croácia.



Notícias relacionadas