Guaido terminou o seu periplo internacional com o apoio da Casa Branca

Depois do encontro com Donald Trump, Juan Guaidó deve regressar ao seu país, após quase três semanas de contactos no estrangeiro.

Guaido terminou o seu periplo internacional com o apoio da Casa Branca

Esta quarta-feira, o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, concluiu a sua turnê pela Colômbia, Europa e América do Norte, com uma reunião a portas fechadas com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Após a reunião, nenhum dos líderes políticos fez declarações à imprensa.

Por seu lado, a Casa Branca publicou uma breve declaração na qual explicou que "a visita é uma oportunidade para reafirmar o compromisso dos Estados Unidos com o povo da Venezuela" e serviu "para discutir como trabalhar com o presidente Guaidó para acelerar a transição. democrática”.

A reunião, a primeira de duas em Washington, teve lugar um dia depois de Trump ter convidado Guaidó para o seu discurso sobre o Estado da União perante o Congresso, onde Guaidó marcou presença como o legítimo e único presidente da Venezuela.

Antes de se reunir com o chefe de estado dos EUA, Guaidó conversou com o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, e também visitou o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Nas quase três semanas de periplo internacional, Guaido encontrou-se com líderes de alto nível de diferentes países, como o primeiro-ministro britânico Boris Johnson; o presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel.

Espera-se que Guaidé regresse ao seu país nos próximos dias, mas ainda não se sabe qual será o seu destino quando pousar em solo venezuelano.

O segundo homem mais poderoso do Chavismo na Venezuela, Diosdado Cabello, disse que o auto-proclamado presidente interino não "nada" a temer quando voltar ao seu país, ao passo que o próprio Guaidó considera que o seu regresso a Caracas poderá gerar vários problemas, devido aos controles de segurança implementados pelas autoridades governamentais e ordens judiciais contra ele.


Etiquetas: Casa Branca , Guaidó , EUA , Venezuela

Notícias relacionadas