Três dias de luto em São Paulo por tiroteio na escola que deixa 10 mortos

Os responsáveis ​​pelo ataque foram dois adolescentes encapuzados, que mais tarde cometeram suicídio em um dos corredores da escola.

Três dias de luto em São Paulo por tiroteio na escola que deixa 10 mortos

AA -  O governador de São Paulo, João Doria, decretou três dias de luto no estado brasileiro após o tiroteio na escola Raúl Brasil, no município de Suzano, que deixou dez pessoas mortas até o momento.

Segundo a Polícia Militar, dois jovens armados e encapuzados entraram na escola e abriram fogo contra os estudantes e depois se suicidaram. Os meninos foram identificados como Guilherme Taucci Monteiro, 17, e Luiz Henrique de Castro, 25, segundo o jornal O Globo.

Após o fato, cinco estudantes morreram e um trabalhador da escola. 

Também mais duas pessoas morreram ao serem transferidas para o hospital. Uma delas foi ferida quando passou pela rua no momento do tiroteio. Outras 17 pessoas ficaram feridas.

O comandante geral da Polícia Militar, Marcelo Salles, informou que os dois responsáveis ​​pelo tiroteio usavam um revólver calibre 38. Além disso, levavam coquetéis molotov, machados, arco e flechas.

Da mesma forma, ele relatou que existem dispositivos explosivos dentro da escola, então o isolamento da área é fundamental, e ele explicou que o ataque ocorreu na hora do recreio, por volta das 9:00 da manhã (hora local). 

Segundo a polícia, os atiradores inicialmente atacaram um lava-jato que estava ao lado da escola e depois entraram na escola.

Este massacre ocorre dois meses depois que o presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro assinou um decreto que facilita o registro, posse e venda de armas de fogo e munição no país.

O presidente não se pronunciou sobre o assunto.



Notícias relacionadas