Venezuelanos protestam sobre a falta de alimentos e medicamentos

Guarda Nacional e polícia dispersam manifestantes com gás lacrimogêneo.

Venezuelanos protestam sobre a falta de alimentos e medicamentos

Dezenas de venezuelanos saíram às ruas na quinta-feira para protestar contra a falta de alimentos e medicamentos no país sul-americano.

Manifestantes ocuparam as avenidas principais em Caracas, mas foram dispersos por seguranças e pela polícia nacional com gás lacrimogêneo quando se dirigiam para o palácio presidencial. "Queremos comida" e "Maduro covarde, as pessoas estão com fome" foram ditos pelos manifestantes.

Um usuário do Twitter expressou frustração na plataforma de mídia social. "O que você diria para um pai cujos filhos dizem que eles estão com fome? @NicolasMaduro ", twittou Venezonalo.

A imprensa local informou que as manifestações espontâneas começaram quando os moradores ficaram frustrados por não serem capazes de comprar alimentos em uma loja no bairro de La Candelaria. Eles começaram a cantar e correr em diferentes direções.

Um grupo de jornalistas relataram que foram agredidos pela Guarda Nacional e grupos de civis armados, que roubaram, ameaçaram, de acordo com o Sindicato Nacional de Imprensa.

O presidente Nicolas Maduro, culpou os Estados Unidos e seus aliados regionais de tentar assumir o controle de seu governo e as carências alimentares são parte de um esforço orquestrado para cumprir essa meta.

Recentemente, os protestos espontâneos foram vistos quase que diariamente no país sul-americano que está enfrentando uma crise política e econômica, que tem sido caracterizada pela escassez de produtos básicos e pela inflação.

O FMI disse em abril que a capacidade de produção da Venezuela havia caído como resultado da falta de bens intermediários, controle de preços e um clima de negócios em deterioração.

A Assembleia Nacional do país, que é controlada pela oposição declarou uma "crise alimentar nacional" devido à falta de suprimentos.


Etiquetas: Venezuela

Notícias relacionadas