Pelo menos 44 mortos depois de um bombardeio a um centro de imigrantes em Trípoli

Pelo menos 44 pessoas morreram e outras 130 ficaram feridas por um atentado a bomba que atingiu um centro de detenção de migrantes na capital da Líbia, Trípoli.

Pelo menos 44 mortos depois de um bombardeio a um centro de imigrantes em Trípoli

Um ataque a um centro de imigrante por aeronaves de guerra leais ao general Khalifa Hafter nos arredores da capital líbia, Tripoli, matou pelo menos 44 pessoas e deixou mais de 130 feridos, informou um comunicado do Gabinete do Representante Especial do Nações Unidas para a Líbia.

É a segunda vez que este centro de migrantes de Tajura, onde haviam mais de 600 pessoas, é alcançado desde que o general Khalifa Hafter lançou uma ofensiva em abril para controlar a capital.

O enviado especial da ONU para a Líbia, Ghassan Salame, pediu à comunidade internacional para "condenar este crime e impor sanções apropriadas aos autores desta operação em flagrante violação das sanções dos direitos humanos.

"O ataque, que matou pessoas inocentes forçadas a ficar neste refúgio por causa de suas condições de vida pavorosas, pode claramente constituir um crime de guerra", disse Salamé.

O Governo do Acordo Nacional, que tem legitimidade internacional na Líbia, acusou tropas leais ao Khalifa Hafter de ter perpetrado o ataque, mas por parte de Haftar mantém seu silêncio.

Enquanto isso, o ministro do Interior do Governo do Acordo Nacional, Fathi Bashagha, disse à Associated Press que os países apoiantes de Haftar estão por trás do ataque.

Bashagha acrescentou que os países aliados a Haftar enlouqueceram depois que o líder das forças armadas no leste da Líbia, Khalifa Hafter, perdeu o controle da cidade de Garian na semana passada.

Os Emirados Árabes Unidos e o Egito estão entre os principais defensores de Haftar.

Por outro lado, a Liga Árabe pediu que o ataque em Tajura fosse investigado independentemente.



Notícias relacionadas