Madrid começou a vacinar contra o COVID-19 no estádio Wanda Metropolitano

O governo da capital espanhola espera aplicar cerca de 10 mil doses diárias no complexo desportivo, onde joga o Atlético de Madrid.

1591314
Madrid começou a vacinar contra o COVID-19 no estádio Wanda Metropolitano
Madrid aşılama.jpg
İspanya koronavirüs.jpg

AA - Enquanto a Espanha tenta acelerar a campanha de vacinação, Madrid inaugurou esta quinta-feira um posto de vacinação no enorme estádio Wanda Metropolitano, que é agora um novo ícone na luta contra o COVID-19.

O estádio, que tem capacidade para quase 70 mil pessoas, é a casa do clube de futebol Atlético de Madrid. A infraestrutura desportiva foi recondicionada para vacinar sete dias por semana, de manhã à noite, com o objetivo de vacinar até 10 mil pessoas por dia no mês de abril.

Na quinta-feira, quando as enfermeiras vacinaram os trabalhadores essenciais com menos de 55 anos com a vacina AstraZeneca, os objetivos foram mais modestos. Apenas 1 000 pessoas estavam agendadas para receber a vacina.

“Temos que ir vacina a vacina”, afirmou a presidente da região de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, durante a inauguração do local, referindo-se à expressão “jogo a jogo”, o mantra do treinador do Atlético de Madrid, Diego Simeone.

Entretanto, a ministra da Saúde, Carolina Darias, esteve na região norte da Galiza para fazer uma visita à fábrica da Novavax que, segundo ela, se prepara para aprovar a sua vacina em Abril, quando terminar o ensaio clínico de fase três.

"Esta vacina dará a Espanha um tremendo impulso em frente" - afirmou Darias.

Até agora, a Espanha administrou 3,4 milhões de vacinas e 1,2 milhão de pessoas do total de 47 milhões de habitantes, receberam as duas doses completas. No total, o país recebeu 4,5 milhões de doses das vacinas da Pfizer / BioNTech, Moderna e AstraZeneca.

Na quinta-feira, o país viveu o seu terceiro dia consecutivo com menos de 10 mil novas infeções por coronavírus.

O Ministério da Saúde relatou 9 568 novos casos de coronavírus e 345 mortes, que fizeram subir para 68 813 o número oficial de mortes.

(Agência Anadolu)



Notícias relacionadas