UNICEF: falta de água potável é mais mortal do que balas para crianças em zonas de conflito

O UNICEF apontou que cerca de 800 milhões de crianças vivem em áreas vulneráveis ​​ou afetadas por conflitos, e uma em cada dez vive em contextos extremamente frágeis.

UNICEF: falta de água potável é mais mortal do que balas para crianças em zonas de conflito
Bogotá Colômbia

Um relatório publicado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou que a falta de água potável é mais mortal do que balas para crianças em zonas de conflito. 

A UNICEF ​​disse que crianças menores de 15 anos que vivem em países afetados pela guerra têm em média quase três vezes mais chances de morrer de doenças relacionadas à água e ao saneamento do que à violência direta. 

A UNICEF apontou que cerca de 800 milhões de crianças vivem em áreas vulneráveis ​​ou afetadas por conflitos, e uma em cada dez vive em contextos extremamente frágeis. 

“Quem vive nessas condições tem três vezes mais chances de defecar ao ar livre; são quatro vezes mais propensas a falta de serviços de saneamento básico e oito vezes mais chances de não ter água potável”, alertou a agência da ONU.

O documento da ONU afirmou que, apesar do direito à água potável e ao saneamento serem parte da Convenção sobre os Direitos da Criança, juntamente com alimentos e assistência médica, os conflitos estão cada vez mais privando essas garantias.

"Os ataques nos sistemas de água afetam diretamente as crianças. Quando o fluxo de água limpa para, elas são forçadas a depender de água não saudável, o que as coloca em risco de doença. É comum que ocorram ataques durante conflitos deliberado e indiscriminado para destruir a infraestrutura da água, ferir o pessoal e cortar a energia que o sistema hidráulico mantém", disse Kelly Ann Naylor, vice-diretora da Unicef ​​para Água, Saneamento e Higiene. 

 

AA - Santiago Serna Duque

Foto: AA - Cem Genco 

 



Notícias relacionadas