Amnistia Internacional: “Os ataques contra hospitais em Idlib são um crime contra a humanidade”

A Amnistia Internacional na Turquia condenou os ataques contra os centros de saúde em Hama e Idlib.

Amnistia Internacional: “Os ataques contra hospitais em Idlib são um crime contra a humanidade”

O Gabinete de Imprensa da Amnistia Internacional na Turquia, considerou tratarem-se de crimes contra a humanidade os ataques contra centros de saúde e hospitais em Idlib e Hama.

Lynn Maalouf, a diretora de investigação para o Médio Oriente, disse que é um crime bombardear os hospitais que prestam serviços de saúde: “Nos últimos ataques foram cortadas as últimas linhas vitais dos civis que precisam de tratamento médico. Já antes também houve ataques sistemáticos contra os centros de saúde, que foram tomados como alvos por muitas vezes. Os últimos ataques são um exemplo desta situação e representam crimes cometidos contra a humanidade”.

A Amnistia Internacional chamou a atenção para as entrevistas feitas a 13 funcionários de saúde afetados pelo conflito e que confirmam esta situação, dando confirmação através de testemunhos às imagens em video.

As testemunhas oculares disseram que entre o dia 5 e 11 de maio, o governo sírio levou a cabo ataques frequentes contra o Hospital de Nabad Al-Hayat na aldeia de Hass, contra o Hospital de Cave na aldeia de Kafr Zita e contra o Hospital de Cirugia e Al-Sham na aldeia de Kafranbel. Estas unidades de saúde foram completamente desativadas e deixaram de prestar apoio a pelo menos 300 mil pessoas a norte, oeste e sul de Idlib e Hama.



Notícias relacionadas