ODHAG e CIPM avaliam a abolição da pena de morte

O Escritório de Direitos Humanos do Arcebispado da Guatemala (ODHAG) e da Comissão Internacional Contra a Pena de Morte (CIPM) representam as ações tomadas para a abolição da pena de morte

ODHAG e CIPM avaliam a abolição da pena de morte

Esta conferência, realizada esta manhã, às 09:00 hora local (15:00 GMT), teve lugar durante a visita da secretária-geral, Asunta Vivó Caballer, sobre a abolição da pena de morte.

A pena de morte é definida como legislação guatemalteca, mas não tem sido aplicada desde 2000, quando dois sequestradores foram executados por injeção letal.

O país da América Central é um dos cinco mais violentos do mundo, com cerca de 6.000 homicídios por ano.

América tem 15 países com a pena de morte em vigor, mas não executa ninguém desde 2008.

Eles incluem Guatemala, além de Antígua e Barbuda, Bahamas, Cuba, Belize, Barbados, Bahamas, Trinidad e Tobago, Guiana, St. Kitts e Nevis, Santa Lúcia, Jamaica, São Vicente e Granadinas, Dominica e Granada.


Notícias relacionadas