Turquia-EUA: "É impossível aceitarmos falta de progresso na extradição do líder do FETÖ"

"De acordo com as disposições das convenções internacionais e os instrumentos assinados por ambas as nações, um passo deveria ter sido dado até agora", disse Gül.

Turquia-EUA: "É impossível aceitarmos falta de progresso na extradição do líder do FETÖ"

O ministro da Justiça turco, Abdülhamit Gül, teve uma reunião com seu colega americano, William Barr, em Washington. Então, durante uma reunião com jornalistas turcos, ele se encontrou com Barr e outros contatos no país.

O ministro disse ter prazer em conhecer a colônia turca nos EUA quando participou do Dia da Turquia em Nova Iorque e disse que visitou a mesquita queimada em New Haven.

"Com o secretário Barr, lidamos com questões relacionadas à assistência jurídica mútua entre a Turquia e os Estados Unidos e convenções internacionais. Foi um diálogo muito frutífero e benéfico. Espero que consigamos resultados muito bons", disse Gül, que também falou sobre o processo de extradição para o líder do grupo terrorista FETÖ, Fetullah Gülen.

"De acordo com as disposições das convenções e instrumentos internacionais assinados pelas duas nações, um passo deveria ter sido dado até agora. É impossível aceitarmos que ainda não há progresso nesse sentido. Não podemos aceitar que a questão não tenha sido remetida para as autoridades judiciais nos EUA, apesar da chegada de provas, documentos e pedidos de extradição emitidos pelas autoridades judiciais turcas. A Turquia quer o que deve estar em estado de direito: a extradição de Gülen, o cumprimento do pedido das autoridades judiciais turcas", disse o ministro Gül, que acrescentou que a Turquia mais uma vez enfatizou e continuará a expressar o mais forte forma perante os órgãos americanos suas afirmações sobre o grupo terrorista FETÖ.

Quanto à assistência jurídica mútua entre os dois países, o chefe da Justiça disse que as petições dos Estados Unidos foram cumpridas em vários momentos no âmbito da justiça e que a Turquia espera que os EUA façam o mesmo.



Notícias relacionadas