Confirmam que os sauditas não autorizaram a polícia turca a inspecionar um poço de água

A administração saudita anunciou em 20 de outubro que o jornalista morreu após uma briga no consulado

Confirmam que os sauditas não autorizaram a polícia turca a inspecionar um poço de água

Novos detalhes foram obtidos sobre a investigação do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado de seu país em Istambul.

No âmbito das investigações, a polícia fez buscas de evidências nas instalações do consulado e na residência consular.

Foi relatado que as autoridades sauditas "não permitiram que a polícia turca verificassem um poço de água no jardim do consulado".

Jamal Khashoggi, o colunista do The Washington Post, que escreveu para o Al Watan (uma plataforma importante para os reformadores sauditas), nunca foi visto saindo depois de entrar no consulado em 2 de outubro.

Fontes de segurança confirmaram que o jornalista nunca havia saído do edifício consular. Ao mesmo tempo, havia 15 cidadãos sauditas que desembarcaram em dois aviões em Istambul.

As autoridades das duas nações formaram uma comissão conjunta para investigar o desaparecimento do jornalista.

A Procuradoria Geral de Istambul também fez buscas na residência do Cônsul Geral Mohamed Al Utaibi, que deixou a Turquia.

A administração saudita anunciou em 20 de outubro que o jornalista morreu após uma briga no consulado.



Notícias relacionadas