Turquia reage duramente contra a Áustria por causa do encerramento de mesquitas

“O facto da Áustria encerrar 7 mesquitas e expulsar imãs com base em desculpas esfarrapadas, é uma consequência da onda de Islamofobia” – afirmou Ibrahim Kalin.

Turquia reage duramente contra a Áustria por causa do encerramento de mesquitas

O porta voz da presidência da Turquia, Ibrahim Kalin, reagiu severamente contra Áustria após o anúncio do encerramento de mesquitas no país.

Na sua conta oficial na rede social Twitter, Kalin criticou as declarações do primeiro ministro da Áustria, Sebastian Kurz, sobre o encerramento de 7 mesquitas no país e sobre a expulsão de alguns imãs (sacerdotes muçulmanos).

“O facto da Áustria encerrar 7 mesquitas e expulsar imãs com base em desculpas esfarrapadas, é uma consequência da onda de Islamofobia e de populismo divisionário naquele país” – afirmou Ibrahim Kalin.

O porta voz da presidência da Turquia disse ainda que “A postura ideológica do governo austríaco é contrária às normas jurídicas internacionais, às políticas de coesão social, aos direitos das minorias e ao direito à sã convivência. A normalização do racismo e a islamofobia desta forma, devem ser completamente rejeitadas”.

Por seu turno, o vice-primeiro ministro da Turquia e porta voz do governo, Bekir Bozdag, disse que a Áustria destruiu a liberdade religiosa e a vontade das pessoas, ao decidir o encerramento das mesquitas. Bozdag acrescentou ainda que com esta decisão, a Áustria está a violar a Declaração Universal dos Direitos Humanos.



Notícias relacionadas