Mensagem de luta comum contra o racismo, a xenofobia e a islamofobia na Alemanha

O ministros dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlut Çavusoglu, participou nas cerimónias do 25º aniversário da tragédia de Solingen, na Alemanha.

Mensagem de luta comum contra o racismo, a xenofobia e a islamofobia na Alemanha

Teve lugar na sede do governo regional da Renânia Norte Westafalia, em Dusseldorf, uma cerimónia para homenagear os 5 membros da família Genç, que foram assassinados por um grupo racista que incendiou a sua casa há 25 anos. Nesta cerimónia participaram a chanceler alemã Angela Merkel, o ministro turco dos Negócios Estrangeiros Mevlut Çavusoglu, e ainda o primeiro ministro do estado alemão da Renânia Norte Westfalia, Armin Laschet, para além de um grande número de convidados.

No seu discurso, Çavusoglu chamou a atenção para a tragédia sofrida pela família Genç e para os problemas de outros cidadãos turcos, que sofrem ataques racistas na Alemanha:

“A única expetativa destas pessoas, que consideram a Alemanha como a sua segunda pátria, é serem uma peça igual, um membro igual desta comunidade”.

Mevlut Çavusoglu enfatizou que a Alemanha e a Turquia precisam de trabalhar juntas para a integração das pessoas: “A nossa missão é tirar as devidas lições desta tragédia, e atuarmos a uma só voz contra esta maldade do racismo. É preciso tomar medidas eficazes contra a xenofobia, para que não se repitam ataques como este”.

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros salientou ainda que neste contexto é preciso manter em permanência uma vivência em paz e tranquilidade, entre todos os elementos da sociedade com todas as suas cores e diferenças. Çavusoglu agradeceu ao primeiro ministro da Renânia Norte Westfalia, Armin Laschet, por tê-lo convidado para esta cerimónia muito importante e pelo seu distinto sentido de responsabilidade, no estado onde vivem mais imigrantes turcos na Alemanha. O chefe da diplomacia turca agradeceu também à chanceler alemã, Angela Merkel, pelos passos dados a nível constitucional contra o racismo: “estamos dispostos a dar-lhe todo o apoio”.

Mevlut Çavusoglu fez também saber que o governo turco segue de muito perto o processo judicial contra o grupo terrorista clandestino Nacional Socialista de extrema direita NSU, que matou 10 pessoas, incluindo 8 turcos:

“Esperamos que este julgamento tenha uma sentença satisfatória para a consciência da sociedade e que se revelem todos os planos secretos e todas as ligações a estes ataques, como prometeu antes da chanceler Merkel. Temos a mesma esperança em relação a esta questão”.



Notícias relacionadas