Yıldırım: "A Turquia não intervém no processo judicial dos soldados gregos"

O primeiro-ministro turco, Binali Yıldırım, respondeu a perguntas dos repórteres durante o voo de volta da Mongólia e do Afeganistão

Yıldırım: "A Turquia não intervém no processo judicial dos soldados gregos"

O primeiro-ministro turco, Binali Yıldırım, disse que o processo judicial continua sobre os dois soldados gregos que foram presos na zona militar de Edirne em 1º de março.

Yıldırım, em suas declarações aos repórteres durante o voo de volta da Mongólia e do Afeganistão, referiu-se ao processo judicial sobre soldados gregos.

 

"A Justiça fará o que for necessário. Nós não intervimos no processo de julgamento", assinalou.

Yıldırım, reagindo contra o ataque químico perpetrado no último sábado em Guta Oriental, na Síria, indicou que a posição da Turquia está aberta sobre o ataque brutal.

O primeiro-ministro informou que os grupos de oposição, que deixaram Guta Oriental, se instalaram em Al-Bab, liberados do grupo terrorista DAESH com a Operação Escudo do Eufrates, que começou em 24 de agosto de 2016 e que durou cerca de 7 meses, e que o número deles ultrapassou os 10 mil.

Yıldırım, referindo-se à guerra comercial entre os EUA e a China, disse que a guerra comercial entre os dois países também afetou a Turquia.

Yıldırım, em relação às tarifas impostas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, disse:

"O Nosso Senhor Presidente Recep Tayyip Erdogan explicou ao seu homólogo Trump que esta decisão não é justa e que a Turquia deveria retirar-se desta aplicação como outros países. E Trump disse que estava interessado no assunto. Esperançosamente, medidas positivas serão tomadas a esse respeito ".



Notícias relacionadas