Çavusoglu: “a operação Ramo de Oliveira não é uma ocupação”

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Çavusoglu, criticou a reação da França sobre a operação Ramo de Oliveira em Afrin.

Çavusoglu: “a operação Ramo de Oliveira não é uma ocupação”

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Çavusoglu, criticou a reação da França sobre a operação Ramo de Oliveira, iniciada pelas Forças Armadas da Turquia para eliminar os terroristas membros do PKK/KCK/PYD-YPG e do DAESH na região síria de Afrin, e para salvar o povo amigo e irmão da região da opressão e da brutalidade.

Çavusoglu, em resposta às perguntas dos jornalistas em Ancara, disse que não aceita lições da França ou de qualquer outro país sobre a operação da Turquia em Afrin.

“Estes europeus são hipócritas. Dizem na nossa cara que temos razão, mas depois fazem declarações nas nossas costas. Nós não somos a França e não ocupámos a Argélia. Consideramos insultuosa uma recordação equivalente. Isto não é uma ocupação. Apoiamos fortemente a integridade territorial da Síria. A operação te como objetivo limpar o território sírio de terroristas.

Usamos o nosso direito de legítima defesa. Esta operação é feita com base nas resoluções das Nações Unidas e todo o mundo a aceitou” – afirmou Çavusoglu.

O ministro turco criticou também o presidente francês Emmanuel Macron, que fez declarações contraditórias sobre as realidades históricas, sobre as supostas alegações arménias acerca de 1 915. Çavusoglu recordou que a Constituição Francesa tem um artigo sobre como este tema não é político, mas sim jurídico.



Notícias relacionadas