Trump afirma á Erdogan que armas não serão fornecidas ao YPG

A presidência turca disse que os EUA concordaram em não apenas parar de armar o YPG, uma ramificação da PKK, mas também ajudar a Turquia a combater todas as organizações terroristas, incluindo o Daesh e a FETO.

854750
Trump afirma á Erdogan que armas não serão fornecidas ao YPG

A Turquia e os EUA concordaram em se unir para lutar contra várias organizações terroristas, incluindo Daesh, PKK e a Organização Terrorista de Fetullah Gulen (FETO), disse o  presidente da Turquia na sexta-feira.

No começo do dia, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, conversou por telefone com seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan.

"Sr. Trump declarou claramente que as armas não serão mais atribuídas ao YPG e disse que esse absurdo deveria ter terminado muito antes ", disse Cavusoglu a jornalistas em Ancara.

Outra característica significativa do telefonema foi a longa questão sobre o clérigo Fetullah Gulen, que mora nos EUA, o qual a Turquia pede que seja extraditado.

Ancara culpa Gulen e sua rede, como responsáveis ​​por orquestrar a tentativa de golpe em 15 de julho de 2016, que deixou pelo menos 250 pessoas mortas e cerca de 2.200 feridos.

Gulen, que vive em exílio auto-imposto nos EUA desde 1999, nega qualquer envolvimento.

Durante a conversa telefônica, Erdogan e Trump também discutiram sobre a cúpula de Sochi recentemente concluída, a crise da Síria e as relações bilaterais, segundo uma fonte presidencial turca.

Cavusoglu disse que a Rússia, o Irã e a Turquia, decidirão em conjunto quem comparecerá às negociações de paz sírias. A Turquia disse que não aceitaria a presença de representantes do YPG.

Após o telefonema, Erdogan afirmou: "Tivemos uma conversa telefônica produtiva com o presidente dos EUA, Donald Trump".



Notícias relacionadas