Projeto de lei lança debate na Turquia

Os críticos dizem que a lei equivale a legalizar o abuso de crianças, mas o governo turco diz que a visão é "completamente falsa".

Projeto de lei lança debate na Turquia

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, criticou os deputados da oposição após um projeto de lei para adiar a condenação de homens condenados por abuso de crianças se o ato for cometido sem força, ameaça ou qualquer outra restrição ao consentimento.

"Há crianças que se casam muito cedo, porque as famílias não conhecem a lei e seus filhos têm que ir para a prisão. Um casal que se casa antes da maior idade pode ter seus próprios filhos, mas o pai tem de ir para prisão e as crianças são deixadas sozinhas", disse Yildirim aos repórteres em Ancara na sexta-feira, acrescentando que a medida visa "se livrar dessa injustiça".

"Isso não é uma anistia para o estupro, nosso governo introduziu os castigos mais sérios contra o estupro, e se houver tais casamentos (forçados após estupro), eles não serão tolerados de forma alguma", disse Yildirim.

Ele disse que a lei só se aplicará às ofensas cometidas antes de 11 de novembro de 2016.

Yildirim disse que as alegações de que a lei iria praticamente legalizar o estupro eram "completamente falsas", observando que o governo havia levantado sanções pelo crime, acusando a principal oposição, o Partido Republicano Popular (CHP),de explorar a questão com fins políticos.

Ele, no entanto, disse que o governo iria realizar consultas com os partidos da oposição sobre o projeto de lei.



Notícias relacionadas