Tribunal alemão proíbe chamada de vídeo Erdogan para manifestação anti-golpe

O presidente turco foi impedido por ordem judicial de abordar simpatizantes na Alemanha sobre manifestação contra julho tentativa de golpe de 15

Tribunal alemão proíbe chamada de vídeo Erdogan para manifestação anti-golpe

O mais alto tribunal da Alemanha, na tarde desse sábado, manteve uma decisão de proibir o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan de abordar uma chamada de vídeo um comício anti-golpe planejado em Colônia.

A decisão do Tribunal Constitucional Federal veio depois que a polícia de Colônia impediu que os organizadores do evento de convidar o presidente para dar um discurso para milhares de simpatizantes, que esperam para se reunir em um comício de protesto neste domingo em Deutzer Werft contra a tentativa de golpe de 15 de julho, na Turquia.

A polícia disse que a medida foi por "razões de segurança". Uma corte local concordou com a decisão, a apresentação da decisão descartou o plano.

Zafer Sirakaya, chefe da União dos Democratas turcos europeus que organizaram o comício, criticaram a decisão judicial como politicamente motivada.

"Não há nenhuma aceitação a esta decisão do ponto de vista legal. É extremamente claro que esta é uma decisão política", disse Sirakaya à Agência Anadolu.

Ele acrescentou que a união seria, noentanto cumprir a decisão e decidir em conformidade.

Mais de 230 pessoas foram mortas e cerca de 2.200 feridos na tentativa de golpe, que o foi realizado pela Organização Terrorista Fetullahista (FETO), liderado por Fetullah Gulen.



Notícias relacionadas