Erdogan apela por reforma do Conselho de Segurança da ONU

A ausência de estado membro muçulmano permanente é injusto, diz o presidente turco.

Erdogan apela por reforma do Conselho de Segurança da ONU

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan reiterou o seu apelo por uma reforma do Conselho de Segurança da ONU no sábado, apontando a injustiça da falta de um membro muçulmano​ permanente.

"O mundo é maior do que cinco", disse Erdogan em uma cerimônia de inauguração no distrito de Istambul Zeytinburnu. "Nós não podemos condenar o destino dos 196 estados do mundo a partir dos dois lábios de cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU. Eram as circunstâncias da Primeira Guerra Mundial

"Agora o funcionamento da ONU deve ser reformado. Não há nenhum país muçulmano entre os cinco - todos eles são cristãos, não-muçulmanos. O que é essa abordagem? É justa? Não é!

"Estamos à procura de um mundo justo. Estamos lutando por um mundo mais justo ".

Erdogan disse que a Turquia levantou a questão da reforma do Conselho de Segurança em cada reunião internacional e pediu uma entidade que represente todos os continentes e grupos religiosos.

O Conselho, que é o principal responsável pela manutenção da paz e da segurança internacional, tem 15 membros, incluindo cinco membros permanentes com poder de veto sobre qualquer resolução - China, França, Grã-Bretanha, EUA e Rússia.

Os membros permanentes costumam usar seu poder de veto para proteger seus interesses ou os interesses de seus aliados e, no passado Erdogan criticou o bloqueio das resoluções da ONU sobre a Síria pela Rússia e China.



Notícias relacionadas