Partidos turcos fazem a tentativa final de formar uma coalizão

O Líder do Partido da Ação Nacionalista afirma a "necessidade histórica" de se formar uma coalizão

Partidos turcos fazem a tentativa final de formar uma coalizão

O líder do Partido da Ação Nacionalista da Turquia (MHP) na sexta-feira pediu aos dois maiores partidos do país tentarem formar um governo de coalizão "pela última vez".

Devlet Bahceli disse que era uma "necessidade histórica e uma responsabilidade nacional" os Partidos da Justiça e Desenvolvimento (AK) e o Partido Republicano do Povo (CHP) formarem uma coalizão.

Seu chamado foi feito um dia depois que o líder do Partido AK e o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu e o líder do CHP, Kemal Kilicdaroglu não conseguiram encontrar uma área em comum o suficiente para se formar uma administração.

A Turquia agora parece estar pronta para uma repetição da eleição geral de 07 de junho em que nenhum partido conseguiu uma maioria simples no parlamento.

Bahceli apontou que o fracasso das negociações da coalizão não beneficiaria ninguém posto que a Turquia está no meio de um novo conflito com separatistas curdos.

"Brincar com jogos de poder e inventar desculpas para não encontrar um acordo quando o fogo é tudo o que nos rodeia é o mesmo que destruir este querido país", disse ele.

Bahceli exortou seus colegas líderes, cujas partes controlam mais de dois terços dos assentos parlamentares entre eles, para não desperdiçarem mais de 50 horas de negociações.

Ele disse que estaria disposto a atender Davutoglu na segunda-feira, mas se recusou a ceder em condições prévias da MHP para a entrada de governo - condições que provavelmente Davutoglu não irá aceitar.

"No caso de serem aceitos os nossos princípios e as condições partilhadas com o público, então o Partido do Movimento Nacionalista, que já possui 46 anos, está determinado a arregaçar as mangas", disse ele.

As negociações entre o Partido AK e o CHP começaram em 13 de julho e o prazo para formar um governo expira em 23 de agosto, quando tanto o presidente quanto o Parlamento poderão convocar uma nova eleição.

É provável que uma nova enquete seja feita no final de novembro, embora autoridades eleitorais da Turquia tenham o poder de cortar o período de 90 dias pela metade.


Etiquetas:

Notícias relacionadas