Revista de Imprensa Internacional: 19.03.2019

Aqui ficam algumas das notícias hoje em destaque sobre o mundo e a Turquia na imprensa internacional:

Revista de Imprensa Internacional: 19.03.2019

Países Árabes

Al Sharq Al Awsat (jornal saudita publicado no Reino Unido): “Al Sharq Al Awsat trouxe à luz do dia os detalhes do diálogo secreto em Berlim entre as fações alevis e sunitas da Síria”

Ahbar Al Khalij (Bahrein): “O vice-ministro da Defesa do Iémen perdeu a vida num acidente de trânsito no Egito”

Al Raya Al Katariya (Qatar): “O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman, criou uma brigada de intervenção rápida para silenciar os opositores”

 

Alemanha

ARD TV: “Relatório da ONU sobre a Água: guerra por cada gota de água”

DW: “Ajuda ao Desenvolvimento: aumentam os apelos para mais investimento contra a pobreza”

Frankfurter Allgemeine: “O rival sistemático: a UE considera uma política diferente contra a China”

 

França

France 24: “Foi detido o atacante do ataque armado na Holanda”

France 24: “Nova Zelândia: a primeira ministra nunca dirá o nome do terrorista que executou o ataque de Christchurch”

Le Parisien: “Coletes Amarelos: Irão resultar as medidas tomadas contra a violência?”

 

Países de Língua Espanhola

El País (Espanha): “A economia espanhola resiste ao desaceleramento e aumenta o seu crescimentoem relação à Zona Euro”

Telesur (Venezuela): “Venezuela denuncia a ocupação forçada e ilegal das suas representações diplomáticas nos Estados Unidos”

Prensa Latina (Cuba): “A Convenção Internacional Cubagua começa hoje, com uma agenda em que se destacam temas como as alterações climáticas e a reutilização da água”

 

Países Lusófonos

Folha de S. Paulo (Brasil): “Bolsonaro diz contar com apoio e capacidade bélica dos EUA para 'libertar Venezuela'. Porta-voz do governo, por sua vez, diz que Brasil não dará suporte a uma intervenção no país vizinho”

Diário de Notícias (Portugal): “Google ataca fake news. Portugal no top 10 de países da UE com mais contas bloqueadas. Na União Europeia foram suspensas mais de 48 mil contas. Reino Unido é o país mais afetado pela guerra às fake news.”

Jornal de Angola: “Número de mortos pode ultrapassar os mil. O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, admitiu ontem em Maputo que o número de mortes devido ao ciclone “Idai”, no centro de Moçambique, pode ultrapassar as mil e assinalou que “o país vive um verdadeiro desastre humanitário de grandes proporções”



Notícias relacionadas