O PAPEL DA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA PKK/KCK NO TRÁFICO DE DROGAS

Neste artigo será visto através de relatórios de fontes internacionais, que o tráfico de drogas é uma das fontes de renda mais importantes do PKK/KCK.

O PAPEL DA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA PKK/KCK NO TRÁFICO DE DROGAS

Relação entre o Terrorismo e as Drogas

Como uma das ameaças mais sérias enfrentadas mundialmente, as drogas colocam em risco a vida das pessoas mas seu comércio aumenta a cada dia. As drogas são um grande problema, especialmente para os jovens e as gerações futuras, sendo também fontes de financiamento do terrorismo que se beneficia com sua comercialização.

Nos últimos anos, os relatórios sobre drogas e terrorismo publicados por organizações internacionais, mostram que as organizações terroristas adquirem renda com o tráfico de drogas e que tais rendimentos compram armas, acomodação, alimentação, comunicação, propaganda e assim por diante, atendendo as necessidades dos terroristas com esse recurso financeiro. O Relatório Mundial sobre Drogas enfatiza que o volume de comércio mundial de drogas é de aproximadamente 320 bilhões de dólares, o que constitui uma parte significativa dos recursos financeiros do crime organizado e das organizações terroristas. No relatório europeu de drogas de 2016, o valor do mercado de drogas na União Europeia (UE) representou 24 bilhões de euros.

Não seria um erro mencionar a existência de uma relação de interesse mútuo entre organizações terroristas e traficantes de drogas. Enquanto os traficantes de drogas se beneficiam do acesso ás organizações terroristas aos métodos de estruturação organizacional, aquisição de armas e organizações secretas; as organizações terroristas usam das drogas como fonte de renda e maximizam os métodos e habilidades dos narcotraficantes na compensação de dinheiro. Sublinha-se que o tráfico de drogas e o terrorismo são duas partes inseparáveis de um todo.

É evidente que as organizações terroristas fornecem financiamento para suas atividades através da produção e comércio de drogas ilegais que servem para destruir o elemento humano devido á toxicodependência causada pelas drogas.

Tráfico de Drogas realizado pelo PKK/KCK

Tanto no passado quanto no presente, as organizações PKK/KCK que operam contra a Turquia, também recebem um importante financiamento através da produção e comercialização de drogas, o que foi descoberto recentemente. O PKK/KCK conseguiu esconder por muito tempo, do nosso país e da opinião pública mundial, suas atividades relacionadas à produção e comércio de drogas. No entanto, foi revelado que a organização terrorista PKK/KCK possuía financiamento para a realização de atos terroristas, através do tráfico de drogas, o que abre precendentes para que a organização seja condenada tanto nacional como internacionalmente.

Os líderes da organização tentam esconder as atividades de produção e comércio de drogas do pessoal militante e da sociedade, porque eles sabem que o comércio de drogas é de fato um crime com poder de prejudicar as atividades de propaganda e impedir que novos militantes sejam recrutados.

A decisão da organização terrorista de cobrar impostos dos contrabandistas de acordo com a capacidade e o valor dos bens que eles compram, o que foi estabelecido na Segunda Conferência Nacional em 1990, é uma declaração implícita de seu envolvimento na indústria de drogas desde o começo.

A. Ocalan, em sua declaração sobre a relação entre a organização terrorista e drogas em 1999, afirmou: "os líderes da organização, incluindo o irmão Osman Ocalan, nas regiões de Zagros e Maku, realizaram tráfico de drogas e estavam fora do controle desses eventos, dizendo que eles não faziam o tráfico de drogas pessoalmente mas recolheram imposto deles".

A organização terrorista PKK/KCK, que usa do comércio de drogas como uma maneira fácil e lucrativa de gerar renda e realizar atos terroristas, está ativamente envolvida em todos os aspectos do comércio de drogas. A primeira prioridade era começar a participar de negócios de drogas, quando a organização que recebeu a comissão das organizações de drogas para proteger suas atividades e garantir a segurança deles, entendeu a magnitude do tráfico de drogas.

A descoberta das operações realizadas por nossas unidades de combate às drogas suportam essa análise e demonstram que o PKK/KCK desempenha apenas um papel em todas as fases do comércio de drogas, não só das pessoas envolvidas no tráfico de drogas. Em muitas operações realizadas por unidades de combate terroristas visando a organização terrorista PKK/KCK, as apreensões de drogas são realizadas em quantidades significativas. De fato, enquanto 414 operações de narcóticos relacionadas à organização terrorista PKK/KCK foram realizadas entre 1980-2017, 1.325 suspeitos foram apreendidos e dezenas de milhares de quilos de maconha, heroína e outras drogas, além de cerca de 88 milhões de plantas de maconha. Isso mostra claramente como a organização terrorista está interligada com o tráfico de drogas.

A organização terrorista PKK/KCK;

• Coordena o plantio, fabricação, transporte e comércio de drogas;

• Recebe comissão em nome de imposto dos produtores de drogas ou qualquer pessoa ou organização que fabrique ou realize tráfico de drogas que entra ilegalmente através das fronteiras do nosso país;

• Atua na distribuição de drogas e nas vendas de rua na Europa,

• Confisca as drogas pertencentes a indivíduos ou grupos envolvidos no tráfico de drogas sem a sua informação;

• Fornece organização e proteção das organizações produtoras de drogas,

• Cultiva maconha ilegalmente nas regiões da Anatólia Leste e Sudeste;

• Realiza as operações relacionadas ao tráfico de drogas através de células especiais dentro da organização e outros terroristas não são informados.

A organização considera o cultivo ilegal de maconha como o método mais lucrativo deste campo. Especialmente nas regiões da Anatólia do leste e do sudeste, a organização ganhou uma grande quantidade de dinheiro com o comércio de maconha. Esse processo também inclui o incentivo ás pessoas das aldeias e da região ao cultivo de maconha, prometendo comissão pela produção.

A organização terrorista fabricou drogas nos laboratórios estabelecidos em plantações de maconha em áreas de acampamento (Baelbek e Hermen) no vale de Bekaa, Líbano. Enquanto isso, nos acampamentos a norte do Iraque e na fronteira da Turquia, são produzidas drogas para o mercado final. Em particular, é atribuída grande importância ao fornecimento de heroína, que é obtido através do processamento do ópio afegão, no mercado europeu. No início da atividade de coleta de tributo, a organização recebe dinheiro dos narcotraficantes na nossa fronteira leste, determinando os preços por quilo pelo nome de "imposto" e ameaçando, chantageando e tomando reféns dentre os traficantes de drogas.

Nosso país tem sido usado como uma ponte entre as regiões onde as drogas são produzidas e as regiões que são os mercados de consumo desses produtos. Os principais centros de produção de drogas no mundo são o Afeganistão, Paquistão e Irã. Nosso país é um ponto de trânsito entre esses países e a Europa, e essa rota de heroína que passa por nosso país é tradicionalmente chamada de "Rota dos Bálcãs". Considerando a organização do PKK / KCK, parece que a organização estrangeira se estende do Oriente Médio para os países da Europa Ocidental. Esta vasta área cobre toda a "Rota dos Bálcãs". A organização terrorista PKK/ KCK, organiza esta rota por onde passa um fluxo pesado de narcóticos, facilmente transportando os narcóticos que produz ou fornece de sua fonte.

A organização terrorista PKK/ KCK começou comissionando comerciantes e produtores para atividades de drogas, mas nos últimos tempos o comércio progrediu ao ponto de controlar o mercado de rua europeu. A organização organiza e dirige pessoalmente a distribuição de drogas na Europa. As altas taxas de lucro nos preços das drogas são o motivo mais importante para a organização se mover para a distribuição de rua. De fato, o relatório intitulado "O PKK na Síria" (The Forgotten Foreign Fighters: The PKK in Syria), publicado pela Sociedade Henry Jackson, do Reino Unido, afirma que o tráfico na Europa é uma das fontes de renda mais importantes do PKK/ KCK, transportando as drogas do Irã para a Europa através da Turquia.

Declarações de outros países e organizações internacionais sobre o tráfico de drogas realizado pelo PKK/KCK

Há muitas conclusões de fontes internacionais que afirmam que o tráfico de drogas é uma das fontes de renda mais importantes do PKK/KCK. O Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (United Nations Office on Drugs and Crime - UNODC), estima que o tráfico de drogas para a Europa Central, advindo do Afeganistão e outros países da Ásia Central, fornece US$ 5 bilhões por ano no narcotráfico e, de acordo com um analista europeu de inteligência, metade vai para o PKK/KCK.

Em 1992, de 41 operações de narcóticos realizadas pelo mundo, 23 encontraram relações nos registros da INTERPOL sobre o envolvimento com o PKK/KCK na Alemanha, Espanha, Itália, Suíça, França e operações realizadas na década de 1990 na Turquia que apreenderam toneladas de drogas. De acordo com os registros da INTERPOL, o mercado europeu de drogas foi dirigido pelo PKK/KCK em 80% em 1992 e cerca de 60-70% em 1994.

Nos últimos anos, a INTERPOL vem seguindo o comércio de drogas de vários grupos curdos na Alemanha, Itália, Holanda e Espanha. Considera-se que esses grupos estão relacionados ao PKK/KCK. A organização é conhecida como o laboratório de drogas que opera no norte do Iraque e na Turquia. O PKK/KCK, bem como a produção e comércio de drogas por células individuais para apoiar operações, também recebe impostos de traficantes de drogas curdos na Europa Ocidental.

Sabe-se que o PKK/KCK também comercializou drogas para os EUA usando suas instalações e capacidades na Europa. Segundo informações, em 1996 o grupo enviava a grama de heroína para o mercado norte-americano a US$ 350. Estima-se que a organização terrorista PKK/KCK tenha recebido pelo menos US$ 1,5 bilhão por ano em receitas, apenas através da heroína afegã que é transportada para a Europa.

O tráfico de drogas do PKK/KCK, juntamente com organizações separatistas similares, também está incluído no relatório de 2004 da EUROPOL sobre Status e Tendências do Terrorismo (TE-SAT). De acordo com o relatório, o PKK/KCK lida com o tráfico de drogas e outros crimes organizados para financiar atividades terroristas. Da mesma forma, o relatório "TE-SAT" publicado pela EUROPOL em 2013, e o relatório turco de investigação do PKK/ KCK, mostram que, incluindo o comércio de drogas para financiar atividades terroristas, a organização coleta dinheiro através de impostos que recebe dos narcotraficantes na fronteira para transportar as drogas da Turquia para a UE.

O relatório do Comitê Econômico da OTAN de 2007 também afirmou: "A indústria ilegal de narcóticos é a atividade criminosa mais lucrativa do PKK/KCK.”

De acordo com o relatório de inteligência do departamento Anti-Drogas dos EUA (Drug Enforcement Administration - DEA), o PKK/ KCK obtém renda através das drogas, produção de heroína, recolhimento de impostos dos traficantes de drogas nos territórios transfronteiriços e controle de uma parcela significativa dos mercados de heroína na Europa.

Em seu relatório, a DEA afirma: "A organização terrorista PKK/KCK usa produção de heroína e contrabando para apoiar o movimento terrorista contra o governo turco."

O Departamento do Tesouro dos EUA, em 2009 e 2011; identificou os seguintes indivíduos: Murat Karayilan, Ali Rıza Altun, Zübeyir Aydar, Cemil Bayik, Duran Kalkan, Remzi Kartal, Sabri Ok e Adem Uzun como traficantes de narcóticos especialmente designados (Specially Designated Narcotics Traffickers - SDNT) e, portanto, o PKK/KCK foi registrado internacionalmente pelo crime de tráfico de drogas.

De forma semelhante, em 2012, o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento de Tesouraria dos EUA (The U.S. Department of the Treasury’s Office of Foreign Assets Control - OFAC); identificou Zeyneddin Geleri, Çerkez Akbulut e Omer Boztepe, membros da organização terrorista PKK/KCK, como traficantes de drogas (SDNTs) que foram sancionados como responsáveis ​​pelo tráfico de drogas na Europa e especialmente na Moldávia.

O Relatório de Controle Internacional de Narcóticos do Departamento de Estado dos EUA (International Narcotics Control Strategy Report - INCSR) de 2016, afirmou que muitos iranianos e curdos que foram presos por tráfico de drogas do Afeganistão para a Turquia, eram apoiantes do PKK/ KCK, e em 2015, em muitas cidades turcas e na Europa, foi dito que os traficantes de drogas organizaram operações para os membros da organização terrorista.

De acordo com dados da polícia do Reino Unido e do Serviço Nacional de Inteligência Criminal responsável por narcóticos (National Criminal Intelligence Service - NCIS), o PKK/ KCK direciona diretamente cerca da metade da heroína vendida em toda a União Européia. De acordo com o NCIS, a renda em 1988 foi de 85 milhões de dólares, dos quais 44% vinham do tráfico de drogas.

O Ministério Público alemão afirma que 80% das drogas capturadas na Europa estão ligadas ao PKK/KCK. O Ministro de Relações Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, em uma declaração em junho de 2017 disse: "A organização terrorista PKK/KCK está profundamente envolvida no comércio de armas e drogas na Alemanha e, por esse motivo, é do interesse da Alemanha bloquear os recursos financeiros da mesma".

Outro relatório publicado pelo Instituto Francês de Criminologia em 1995, destaca a posição do PKK / KCK no setor de drogas. O relatório expressa que existe uma relação "biológica, política e subterrânea" entre a organização e os cartéis da droga. No mesmo ano, o presidente Massoud Barzani do Partido Democrata do Curdistão (KDP) declarou que o PKK/KCK estava ligado ao narcotráfico.

De acordo com dados da polícia italiana de 1998, o PKK/KCK está diretamente envolvido no comércio internacional de drogas e também recebe renda ilegal do comércio de imigrantes e proteção sistemática de empresários e trabalhadores turcos no exterior.

Conclusão

Conforme visto nos dados discutidos acima, a organização terrorista PKK/KCK ganha, direta e indiretamente, com o tráfico de drogas. Em muitas operações de combate ao terrorismo realizadas na Turquia, foram apreendidas drogas e em muitas operações de combate ás drogas foram presas ou mortas, pessoas pertencentes á organização terrorista. Além disso, tem havido muitos testemunhos sobre o fato de que os líderes da organização e os membros das pessoas detidas realizaram esse comércio de drogas em organizações internacionais. Isso mostra claramente a relação entre a organização terrorista PKK/ KCK e o tráfico de drogas.



Notícias relacionadas