Palácio de Ishak Pachá, a última grande obra monumental do Império Otomano

O Palácio de Ishak Pachá foi construído entre os séculos XVII e XVIII e tinha as instalações mais avançadas do seu tempo.

Palácio de Ishak Pachá, a última grande obra monumental do Império Otomano

Dogubeyazit é o distrito mais a leste do nosso país, situado na fronteira entre a Turquia, o Irão e a Arménia. Esta região saúda-nos com o famoso Monte Agri, mais conhecido em todo o mundo como Monte Ararat. Esta montanha pode ser vista ao longe, a cerca de 80 kms de distância.

A Tora menciona que o profeta Noé desembarcou no Monte Agri com a sua família e com os animais que trazia depois do Dilúvio Universal. Acredita-se que o profeta Noé, considerado como o segundo pai Adão da humanidade, chegou a todo o mundo com a sua família a partir do Monte Agri. Mas, o nosso livro sagrado, o Corão, menciona que a Arca de Noé atracou no Monte Cudi em Sirnak.

Em três lados do Monte Agri existem 3 zonas residenciais. Uma delas é a capital da Arménia, Ierevan. A segunda é a província turca de Igdir e a terceira é o distrito turco de Dogubeyazit. Estes três lugares residenciais olham para este panorama maravilhoso, coberto de nuvens, neve e glaciares.

Esta região mudou frequentemente de mãos entre os romanos e os iranianos ao longo da história. Quando os Ilkanatos – uma das 4 divisões do Império Mongol na Anatólia – adotaram o islão, a região começou a ser regida pelos Ilkanatos. Mais tarde, esta região seria conquistada pelos estados turcomenos de Aq Qoyunlu e Qara Qoyunlu. O Império Otomano assegurou o domínio turco - que continua até hoje – com a Batalha de Chaldiran, em que estes dois estados foram derrotados durante os reinados de Fatih Sultan Mehmet – o Conquistador, e de Yavuz Selim. O distrito de Dogubeyazit foi uma região que operava como sanjak bey de Childirogullari, uma família turcomena do Império Otomano.

O Palácio de Ishak Pachá, apesar de estar parcialmente em ruínas, está muito bem conservado e oferece vistas sobre a cidade mais próxima de um ponto alto.

O Palácio de Ishak Pachá embeleza historicamente a beleza natural do Monte Agri. O palácio levanta-se numa ladeira da colina perto da fronteira com o Irão, que no passado tinha uma grande importância estratégica. A construção do palácio foi iniciada em 1 685 por parte de Colak Abdi Pachá, o bey da província de Beyazit. A construção do palácio seria concluída pelo seu neto, Mehmet Pachá, em 1 784. Este palácio tem as características típicas da arquitetura seljúcida, otomana e iraniana.

A entrada no palácio pode ser feita pela porta monumental, o pórtico, na fachada oriental. O pórtico ostenta totalmente os estilos seljúcidas, com os seus adornos e baixos relevos. O pórtico dourado foi levado para o Museu de Hermitage em S. Petersburgo na Rússia, como tesouro de guerra durante a ocupação russa. Durante os trabalhos de restauração tentou proteger-se o palácio dos efeitos negativos causados pelas condições naturais do local.

No pátio do palácio existe uma mesquita maravilhosa. O lugar mais destacado do pátio é o túmulo que entra em contraste com a dimensão da mesquita e do palácio. Ao lado deste túmulo – pertencente aos donos do palácio – está uma sala de receção. Os três crescentes bordados sobre os mármores na sala de receção, têm a marca otomana. A leste do pátio, está o quarto do harém do palácio.

Este palácio era aquecido por água e vapor que circulavam por debaixo do chão, seguindo a mesma lógica dos banhos turcos. O edifício tinha também um sistema de canalizações muito apelativo. O facto do palácio ter um sistema de canalizações numa época em que o Palácio do Louvre não tinha, mostra que o nível civilizacional dos otomanos era mais avançado que o dos ocidentais. No total, o palácio tinha 336 divisões, todas equipadas com luxos insólitos para a sua época, como aquecimento central, água corrente e uma rede de esgotos.

O Palácio de Ishak Pachá era ao mesmo tempo um palácio fortaleza. Para chegar ao palácio, era preciso passar por uma ponte suspensa que permitia chegar a uma rocha em frente do edifício, que podia ser levantada em caso de perigo. Esta ponte suspensa tem uma altura de cerca de 300 metros. Naquele tempo, era muito interessante o conceito de ponte suspensa, que tem uma altura semelhante à da atual ponte sobre o Bósforo.

O Palácio de Ishak Pachá passou a ser conhecido devido ao artigo de Yusuf Mazhar Bey, escrito num diário em 1 925. O arqueólogo Mahmut Akok contribuiu para a descrição detalhada do palácio em 1 961. O Palácio de Ishak Pachá entrou na lista de Património Mundial Temporário da Humanidade da UNESCO no ano 2 000.



Notícias relacionadas