Turquia trabalha sem parar para levar água potável a África

A Turquia abriu centenas de poços para resolver o problema da água, principalmente em África através da Agência Turca de Cooperação e Coordenação (TIKA).

465111
Turquia trabalha sem parar para levar água potável a África

(Transcrição do programa de rádio)

Olá caros ouvintes da Rádio TRT Voz da Turquia, sejam bem-vindos a mais uma edição do programa A Mão Amiga da Turquia.

Todos os anos, celebra-se no dia 22 de março o Dia Mundial da Água. Apesar dos estudos de consciência demonstrados por todo o mundo, há ainda mil milhões de pessoas na Terra que não têm acesso a água potável. E é neste contexto que a Turquia abriu centenas de poços para resolver o problema da água, principalmente em África através da Agência Turca de Cooperação e Coordenação (TIKA, nas suas siglas em turco).

Já a seguir, apresentaremos o trabalho que está a ser desenvolvido pela TIKA, para levar água potável às populações em África. As avaliações e informações seguintes pertencem a Selahattin Bostan, o conselheiro de imprensa do Crescente Vermelho Turco (Kizilay).

Segundo uma crença, uma das razões que levou os turcos a emigrar da região da Ásia Central, foi a expressão de Oguz Khan “Mais mar, mais rio”. Segundo esta crença, Oguz Khan queria chegar ao mar, e por causa disso começou então a migração maciça dos turcos. Outro motivo por detrás desta migração, podem ter sido as secas na Ásia Central. Aqueles que querem criar uma civilização e os que querem viver em civilização, têm que ter contato com o mar. Isto porque a água é civilização.

A história da emigração dos turcos é uma prova de que cumpriram com a palavra dada pelo seu grande líder, Oguz Khan. A luta do beylicado otomano para alcançar o Egeu, o Mediterrâneo e Mármara, são exemplos desta migração. Os turcos sabem pela história dos seus antepassados que a água é civilização.

As civilizações criadas pelos turcos, como todas as outras grandes civilizações, foram fundadas em grandes bacias de água. Os turcos levaram a civilização da água a todos os países que dominaram. Construíram fontes e vias fluviais nas zonas que conquistaram. As antigas civilizações turcas opinam que todo o mundo – que vive debaixo do mesmo céu – partilha as bendições de Alá. Os turcos pensam que a água utilizada em todo o mundo, é toda extraída do mesmo poço. E ajudam aqueles que carecem de água à superfície.

As Nações Unidas proclamaram em 1 993, o dia 22 de março como sendo o “Dia Mundial da Água”. Já passaram 23 anos deste a instituição deste dia. Todos os anos têm sido propostos muitos projetos para as regiões que têm dificuldades no acesso à água. Segundo os dados das Nações Unidas, há ainda em média mil milhões de pessoas com dificuldade em aceder a água potável. E este problema continua a crescer.

Dois milhões de pessoas por ano, em particular as crianças, perdem a vida devido a complicações relacionadas com a má qualidade da água ou a falta de infra-estruturas. Agora, existe até o conceito de “pobreza de água”, causada por razões como o aquecimento global, a contaminação dos recursos hídricos e o crescimento desenfreado sem planeamento.

Mas tudo isto acontece num contexto em que há água na Terra para todos. O que é preciso, é que haja vontade para partilhar. A água desperdiçada nas zonas desenvolvidas do mundo, é suficiente para dar de beber a toda a África.

A Turquia também ajuda aqueles que precisam de água, tal como o faz para outras necessidades. Em toda a África, faz a sua parte em vez de esperar por um futuro utópico em que haja uma justa repartição da água. A Agência Turca de Cooperação e Coordenação (TIKA), não deixa sem água os seus irmãos, e para esse efeito abre poços em África e no Médio Oriente. Na Ásia Central e nos Balcãs, rega as terras férteis dos seus irmãos, cultivando as áreas de regadio.

Milhões de pessoas em África vivem privadas de acesso a água limpa, seja por questões de ordem geográfica, seja devido a secas, infra-estruturas insuficientes ou instabilidade. A TIKA estendeu as suas atividades a quase toda a África, dando ajuda ao desenvolvimento através do fornecimento de água para rega ou higiene. A TIKA abriu um total de 578 poços em África, repartidos por vários países: 64 poços na Mauritânia, 10 no Senegal, 36 no Mali, 257 no Níger, 8 na Gâmbia, 74 no Burkina Faso, 10 nos Camarões, 35 no Sudão, 52 na Etiópia, 25 na Somália, 2 no Gabão e 5 no Malaui. Todos os dias, milhões de pessoas bebem e usam a água destes poços. Todos os dias, milhões de pessoas se lembram da Turquia e do povo turco.

Os poços de água abertos pela TIKA em África e na Ásia Central, dão vida a milhões de pessoas. A TIKA reparou as infra-estruturas danificadas pelos conflitos, nos municípios de Bayt Lahiya, Deir al-Balah, Jan Yunus e Rafah. A extensão das canalizações colocadas debaixo de terra nestas zonas, é superior a 5 mil metros. Os 15 poços de água e as 22 tubagens danificadas pela guerra na Faixa de Gaza, foram reparadas pela TIKA. E também em Gaza, foram instaladas 10 unidades de dessalinização. Foi ainda criada uma rede de tanques, que distribui regularmente água limpa a 340 escolas. Todos os dias, 600 mil estudantes lavam-se e rezam pela Turquia.

Os trabalhos desenvolvidos pela TIKA na Ásia Central e Balcãs são de tão grande dimensão, que precisarão de outro programa para ser acompanhados.

Sim, a água é civilização. A nação turca, trabalha desde há dezenas de anos para que o elemento indispensável da civilização chegue sem problemas aos seus irmãos. O seu único desejo, é que a irmandade e a partilha se imponham no mundo.

Este programa foi escrito por Selahattin Bostan, o conselheiro de imprensa do Crescente Vermelho Turco (Kizilay).



Notícias relacionadas