Especialista afirma que a terceira onda de COVID-19 na Índia pode chegar mais cedo que o esperado

"A terceira onda de COVID-19 pode chegar ao país dentro de 6 ou 8 semanas" - avisou o Dr. Randeep Guleria.

1661802
Especialista afirma que a terceira onda de COVID-19 na Índia pode chegar mais cedo que o esperado

(AA)

O Dr. Randeep Guleria, o diretor do Instituto de Ciências Médicas da Índia - uma das instituições oficiais de saúde - afirmou que o seu país pode ser afetado por uma terceira onda de coronavírus (COVID-19) muito antes do esperado, devido à violação das normas sanitárias do país por parte de muitas pessoas.

Num relatório elaborado por Guleria e publicado no The Strait Times de Singapura, é dito que o número de casos, que teve uma tendência decrescente nos últimos dias, poderá aumentar novamente na Índia entre as próximas 12 e 16 semanas.

Guleria também avisou que a terceira onda de COVID-19 poderá chegar ao país dentro de 6 ou 8 semanas.

O especialista observou também que acredita que a variante Delta, altamente contagiosa, é responsável pela "segunda onda" que ceifou muitas vidas na Índia. E acrescentou que esta variante ainda representa um grande risco para a população que ainda não foi vacinada.

De acordo com o comunicado do Ministério da Saúde da Índia, nas últimas 24 horas foram detectados 58 419 novos casos do vírus e 1 576 pessoas morreram. Este foi o valor mais baixo de

 casos diários dos últimos 75 dias.

O número de casos diários ultrapassou os 100 000 em 4 de abril, os 200 000 a 15 de abril, 300 000 em 21 de abril e mais de 400 000 a 30 de abril.

O número total de casos no país totaliza agora 29 milhões 933 mil 497 e o total de óbitos situa-se nos 388 136.

O número de recuperações excede atualmente o número de novos casos

Nas últimas 24 horas, 87 619 pacientes com COVID-19 recuperaram na Índia. O número de recuperações excede o número de novos casos há mais de um mês, e o risco da pandemia sobre o sistema de saúde indiano está parcialmente aliviado. Por outro lado, 729 243 pacientes continuam hospitalizados.

Até ao momento, mais de 276 milhões 693 mil  doses da vacina contra o coronavírus foram administradas na Índia, desde o início da campanha de vacinação em 16 de janeiro.

De acordo com o Worldometer, a plataforma de referência de registo dos dados de COVID-19, a Índia é o segundo país do mundo em termos do maior número de casos e o terceiro em número de óbitos.



Notícias relacionadas