Conselho de Segurança da ONU desafia ameaça dos EUA ao Irã

O 'snap back' dos EUA não serviu a nenhum propósito

1479752
Conselho de Segurança da ONU desafia ameaça dos EUA ao Irã

O Conselho de Segurança da ONU rejeitou a exigência dos EUA de aplicar novamente o mecanismo de sanções, o 'snap back', se não estiver em conformidade com o Tratado Nuclear entre o Irã e as forças nucleares.

O Representante Permanente da Indonésia junto à ONU, Triansyah Djani, que detém a presidência rotativa do Conselho de Segurança da ONU, declarou perante a demanda da Rússia e da China pela declaração dos membros do Conselho sobre o assunto, frisou que os países exceto a República Dominicana no conselho de 15 membros acreditava que seria ilegal operar esse mecanismo porque os Estados Unidos se retiraram do tratado nuclear em 2015.

O Embaixador Djani, falando no encontro sobre o Oriente Médio por teleconferência, declarou: “As negociações feitas com os países membros e as cartas dos representantes desses países mostram que um dos membros do Conselho tem uma opinião definitiva sobre o caso e outros não concordam com esta opinião ”.

Djani frisou que não há acordo entre os membros do conselho para operar o mecanismo de sanções: “Por isso, o presidente não tem autorização para dar um passo nesse sentido”.

Os EUA já haviam apresentado ao conselho um projeto que planejava acompanhar o embargo de armas contra o Irã que terminaria em 18 de outubro, para se arrastar até uma decisão contrária do Conselho de Segurança da ONU. Os chanceleres da Rússia e da China nas cartas ao secretário-geral Antonio Guterres e ao conselho apresentaram suas rejeições à oferta e deram o sinal de que vetariam como membros permanentes com autorização para vetar tal decisão do Conselho.

Os EUA, por sua vez, indicaram que, caso a decisão seja vetada, aplicariam com urgência as sanções previstas no tratado acordado entre o Irã e as forças internacionais. Rússia e China lembraram que os EUA ainda se retiraram do acordo, por isso não têm capacidade para operar o mecanismo de sanções.

 



Notícias relacionadas