Nos EUA, a polícia declara ilegais os protestos anti-racistas em Portland

As forças de segurança federais detiveram manifestantes através de veículos civis sem apresentar identificação o que causou reações em todo o país

1467000
Nos EUA, a polícia declara ilegais os protestos anti-racistas em Portland

A polícia que interveio nos protestos anti-racistas que continuam após o assassinato de George Floyd de origem afro-americana na cidade de Portland ligada ao estado americano do Oregon, declarou que os protestos serão considerados parte das "reuniões ilegais".

Na declaração feita pelo Escritório de Segurança de Portland, observou-se que nos protestos organizados no fim de semana alguns grupos protestantes que queriam marchar entre o centro policial da província e o escritório do xerife no distrito de Multnomah jogaram garrafas de vidro nos policiais. Eles estavam tentando contê-los e um policial foi ferido na cabeça.

Após o incidente, a polícia expressou que o protesto foi declarado “ilegal e tentou dispersar os manifestantes com gás lacrimogêneo.

Nos eventos, dois manifestantes foram presos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, enviou reforços à cidade devido aos protestos em massa em Portland.

As forças de segurança federais detiveram manifestantes através de veículos civis sem apresentar identidade, e isso causou reações em todo o país.

Na cidade onde a tensão ainda continua, nos contínuos combates entre agentes de segurança federais e manifestantes, a polícia usou gás lacrimogêneo contra os manifestantes e nos eventos 28 pessoas foram presas sob a acusação de "atacar a polícia” , incêndio criminoso e danos materiais. "

À luz das contínuas disputas sobre agentes de segurança federais na semana passada, a fiscalização interna do Departamento de Justiça decidiu iniciar uma investigação sobre alegações de uso indevido da força em Portland e Washington DC.



Notícias relacionadas