Lojas em Nova Iorque fecham e colocam placas de madeira para evitar saques

Nova Iorque é um dos epicentros do COVID-19 nos Estados Unidos, com 33.768 casos registados e 776 mortes até agora.

1388216
Lojas em Nova Iorque fecham e colocam placas de madeira para evitar saques

Depois ter sido decretado o recolher obrigatório em Nova Iorque, no âmbito da luta contra o coronavírus (COVID-19) nos Estados Unidos, muitas lojas de marcas famosas em Manhattan decidiram selar as suas janelas com placas de madeira, para evitar “possíveis saques durante os períodos de proibição”.

No Soho, uma área comercial e de entretenimento de Manhattan, marcas mundialmente famosas esvaziaram as vitrines das lojas e algumas colocaram placas e tábuas de proteção.

As lojas tomaram esta medida depois do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, ter dito que a cidade poderia permanecer bloqueada até ao final de maio, e alertado que o vírus poderia infectar metade da população, que é de 8,6 milhões. de habitantes.

 

Antecedentes de saques

Os saques em grandes supermercados e pequenas lojas têm sido vistos com frequência nos Estados Unidos durante situações de falta de energia, furacões, inundações e desastres naturais semelhantes.

Os mais afetados são as lojas que vendem bens de luxo, que foram repetidamente saqueadas.

A ocorrência mais recente de saques em massa aconteceu durante o furacão Irma, que afetou o estado da Flórida em 2017. Apesar das medidas tomadas, ocorreram incidentes em que dezenas de pessoas partiram as janelas e entraram nas lojas em Miami.

Até agora, os Estados Unidos são o país mais afetado pelo coronavírus, com 142.793 infectados e 2.490 mortos.



Notícias relacionadas