Alastramento incontrolável do Covid-19 nos EUA, governador de Nova Iorque pede ajuda

Enquanto Merkel voltou a testar negativa no seu terceiro teste, o vírus continua imparável nos países ocidentais.

1388585
Alastramento incontrolável do Covid-19 nos EUA, governador de Nova Iorque pede ajuda

O número de mortes causadas pelo coronavírus em todo o mundo aumentou para 38.748 e o número de casos já ultrapassa 800.000.

Nos Estados Unidos foram registadas 1.513 mortes por Covid-19 e o número de casos é de 164.359. O próximo foco do surto pode estar dentro e nos arredores de Washington DC. O governador de Maryland, Larry Hogan, informou que os casos em Washington DC, Maryland e Virgínia, conhecidos como "Região DMV", quadruplicaram na semana passada:

"Washington DC e os seus arredores podem tornar-se no novo foco do vírus" – afirmou Hogan – que acrescentou que a situação está a piorar e a partir de certo ponto as autoridades perdem capacidade de resposta. “Ainda estamos no começo da crise. As coisas vão ficar incrivelmente piores antes de melhorarem” – afirmou Hogan.

O panorama da pandemia em Nova Iorque é muito severo. O número de mortes em Nova Iorque já supera as mil. O número total de casos no estado é 66.497, conforme indicado pelo governador Andrew Cuomo:

“Enquanto governador de Nova Iorque, peço a todos os profissionais de saúde do país que venham ajudar. Se não houver crise no vosso estado, venham para Nova Iorque ajudar".

Um soldado diagnosticado com o coronavírus em Nova Jersey perdeu a vida. O número de mortos no exército dos EUA devido ao Covid-19 subiu para 3.

As grandes redes de loja de retalho que fecharam as suas portas devido à pandemia, indicaram que os seus funcionários foram colados na situação de férias não remuneradas.

No Reino Unido, o número de mortos chegou a 1.408, depois de 180 pessoas terem morrido em apenas um dia. Segundo as notícias da imprensa, o número de mortes fora dos hospitais será adicionado a esse número ainda hoje. Ou seja, o número deverá subir para um nível sério. Prevê-se que as mortes e os casos aumentem nas próximas 2-3 semanas. O primeiro-ministro Boris Johnson, também ele infectado, disse que: "As coisas vão piorar antes de melhorarem".



Notícias relacionadas