Capital dos Estados Unidos declara estado de emergência devido ao COVID-19

A medida anunciada pela presidente do município de Washington D.C., Muriel Bowser, e acontece logo após o rápido alastramento do vírus, depois das autoridades terem confirmado a disseminação na capital.

1377158
Capital dos Estados Unidos declara estado de emergência devido ao COVID-19

WASHINGTON

A presidente do município de Washington D.C., Muriel Bowser, declarou estado de emergência e uma situação de emergência de saúde pública na quarta feira, depois do número de casos de coronavírus ter duplicado na cidade.

Com este anúncio, Bowser poderá solicitar assistência federal a desastres, exigir quarentena a quem tenha "causa provável" de estar infectado pelo COVID-19 e pode tornar ilegais os aumentos de preços – segundo dito pela chefe do município.

Esta medida surge depois do número de casos suspeitos na capital dos Estados Unidos ter aumentado de quatro para 10.

"Esses casos adicionais indicam que, devido à natureza dos indivíduos que foram identificados, uma transmissão de pessoa para pessoa esteja a ocorrer no distrito de Columbia. Há também dois indivíduos cujas razões de infeção ainda não foram identificadas" - afirmou a Dra. Laquandra Nesbitt, a diretora do Departamento de Saúde de DC, numa conferência de imprensa na qual também participaram Bowser e outros funcionários.

O Departamento de Saúde sugeriu na quarta feira que as reuniões com mais de 1 000 pessoas, que não sejam essenciais, devem ser adiadas ou canceladas até ao final de março.

Mais de 10 estados declararam o estado de emergência devido ao surto de coronavírus nos Estados Unidos. Pelo menos 938 casos já foram confirmados e há 29 mortes no país.

O número total de mortes por coronavírus no mundo é de cerca de 4 300, com mais de 118 000 casos confirmados de infeção, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Como parte dos esforços para conter o surto, os governos fecharam fronteiras e suspenderam as viagens terrestres e aéreas com os países mais atingidos, como a China, o Irã e a Itália.

Depois de declarar o surto como uma emergência internacional de saúde em janeiro, a OMS atualizou o nível de risco global para muito alto no mês passado, e ontem declarou ser uma pandemia.

AA



Notícias relacionadas