A primeira declaração da ONU sobre o acordo entre a Turquia e a Líbia

O porta-voz da ONU, Farhan Haq, disse que a organização não toma posição sobre a soberania nos mares, direitos e jurisdições dos estados membros.

A primeira declaração da ONU sobre o acordo entre a Turquia e a Líbia

As Nações Unidas informaram que não se posicionam sobre soberania nos mares, direitos e jurisdições soberanas dos Estados membros.

O porta-voz das Nações Unidas, Farhan Haq, comentou o memorando de entendimento sobre "Limitar as jurisdições marítimas no Mediterrâneo", assinado entre a Turquia e a Líbia, dizendo que a organização não se posiciona sobre a soberania nos mares, direitos soberania e jurisdições dos Estados membros, mas que os interesses de terceiros em certas áreas fechadas ou semi-fechadas, devem ser levados em consideração.

Na sua conferência de imprensa diária, Haq pediu a todas as partes que mantenham diálogo sobre este tipos de questões delicadas e pediu que os desentendimentos sejam resolvidos pacificamente.

Por outro lado, a Grécia apresentou uma queixa contra a Turquia, enviando uma carta em separado ao secretário geral das Nações Unidas, António Guterres, e à embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Kelly Craft, a atual presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A Grécia alega que a Turquia está a violar a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, e convocou uma reunião do Conselho de Segurança.

No dia 27 de novembro, a Turquia e o Governo da Unidade Nacional da Líbia assinaram o "Memorando de Entendimento para Segurança e Cooperação Militar" e o Memorando de Entendimento para Limitar Jurisdições Militares", que visa proteger os direitos de ambos os países derivados da lei Internacional

A data de entrada em vigor do memorando de entendimento foi fixada a 8 de dezembro de 2019, por ordem do presidente Erdogan.



Notícias relacionadas