Merkel: "Estou dispostoa a entregar ajuda adicional à Turquia sobre os refugiados"

A chanceler alemã Angela Merkel está visitando a Croácia para o congresso do Partido Popular Europeu

Merkel: "Estou dispostoa a entregar ajuda adicional à Turquia sobre os refugiados"

A chanceler alemã Angela Merkel disse que a Turquia assume uma grande responsabilidade de hospedar 3,5 milhões de sírios e disse que seu país está disposto a fornecer assistência financeira adicional à Turquia.

Merkel se encontrou com o primeiro-ministro croata, Andrej Plenković, na capital Zagreb, onde se transladou para participar do congresso do Partido Popular Europeu (PPE).

Em uma coletiva de imprensa conjunta realizada após a conversa Merkel lembrou que a Croácia e a Alemanha compartilharão a presidência do Conselho da Europa no próximo ano e expressou que seu país apoiará a Croácia durante a presidência rotativa.

Merkel afirmou que os problemas a serem resolvidos na presidência da Croácia oferecerão uma facilidade à Alemanha. 

Portanto, os dois países agirão juntos, acrescentou.

A chanceler alemã ressaltou que seu país apoia o objetivo da Croácia de incorporar os países dos Balcãs Ocidentais na União Europeia (UE).

"Precisamos atender às condições prévias necessárias para o reinício do processo de negociações com o norte da Macedônia", afirmou.

Indicou que o processo de adesão dos países dos Balcãs à UE deve ter uma perspectiva mais realista. 

Alertou que o não cumprimento das palavras teria resultados ruins.

Merkel também se referiu a problemas com migrantes irregulares na fronteira com a Croácia.

"A Alemanha, um país que deve proteger suas fronteiras externas, tem experiência com refugiados e migrantes, mas essa questão tem uma dimensão diferente para um país localizado no centro da área de Schengen", disse.

Afirmou que é muito importante proteger o espaço Schengen.

"Estou disposta a dar uma ajuda adicional à Turquia, que assume uma grande responsabilidade nesse assunto", afirmou.

Por sua vez, o primeiro-ministro croata, Plenković, lembrou que a Croácia servirá como presidente rotativo do Conselho da Europa na primeira metade do ano de 2020 e a Alemanha na segunda metade.

Ressaltou que antes da cúpula entre a UE e os países do sudeste da Europa, planejada para maio, é preciso encontrar uma solução para os processos de negociação bloqueados do norte da Macedônia e da Albânia.



Notícias relacionadas