Chanceler paquistanês adverte Bachelet da situação em Jammu e Caxemira

Qureshi refere-se à importância da ONU e do público internacional pedindo à Índia que pare com seus atos unilaterais e retire os toques de recolher e outras medidas implacáveis

Chanceler paquistanês adverte Bachelet da situação em Jammu e Caxemira

O chanceler paquistanês, Shah Mahmood Qureshi, enviou uma carta à Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, para chamar a atenção para a situação em Jammu e Caxemira.

Qureshi referiu-se às consequências dos atos ilegais e unilaterais da Índia em Jammu e Caxemira desde 5 de agosto.

A carta enfatiza a profunda preocupação do Paquistão com as violações dos direitos humanos na Caxemira "sob a ocupação do governo indiano" e adverte que isso poderia piorar a situação humanitária e os direitos humanos.

"Há restrições à telecomunicação e os políticos de caxemira são mantidos em prisão domiciliar", expressa a carta afirmando que a Índia viola as resoluções do Conselho de Segurança, a legalidade internacional e seus próprios compromissos legais. 

"Qureshi refere-se à importância da ONU e do público internacional pedindo à Índia que pare seus atos unilaterais e retire os toques de recolher e outras medidas implacáveis.

A carta será enviada ao Conselho de Segurança da ONU e aos países membros.



Notícias relacionadas