A esposa do ex-líder chinês da Interpol pede asilo na França

De acordo com informações da BBC, Grace Ming, que mora em Lyon, onde a Interpol atua, solicitou asilo na França para ela e seus filhos gêmeos de 7 anos de idade.

A esposa do ex-líder chinês da Interpol pede asilo na França

A esposa do ex-chefe da Interpol Ming Hongvey, detido em setembro na China, pediu asilo na França.

De acordo com informações da BBC, Grace Ming, que mora em Lyon, onde a Interpol atua, solicitou asilo na França para ela e seus filhos gêmeos de 7 anos de idade.  

Em uma entrevista na rádio France Inter, Grace Ming disse que tem medo de ser sequestrada.

"Estou recebendo ligações estranhas. Até meu carro foi danificado", explicou ela.

Em uma declaração feita no início de outubro, a Interpol disse que Ming Hongvey, que havia realizado importantes missões no Partido Comunista Chinês antes de se tornar chefe da Interpol, havia deixado a França em 29 de setembro para uma visita a seu país.

Poucos dias depois, o Comitê Central de Disciplina e Controle do Partido Comunista Chinês anunciou que Ming, que era vice-ministro de Segurança Pública na China, estava sob suspeita de violação das leis.

Após o anúncio da revisão pela China, a Interpol anunciou a renúncia de Ming.

Ming, eleito presidente da Interpol em 2016, deveria servir até 2020.



Notícias relacionadas