A ONU pede uma investigação independente e imparcial sobre o assassinato de Khashoggi

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu às autoridades sauditas para revelar onde os restos mortais de Khashoggi estão.

1078678
A ONU pede uma investigação independente e imparcial sobre o assassinato de Khashoggi

As Nações Unidas exigiram que a Arábia Saudita incluísse especialistas internacionais independentes na investigação do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu às autoridades sauditas que revelassem onde estão os restos mortais de Khashoggi.

Bachelet, em seu depoimento por escrito, classificou o assassinato do jornalista saudita como "um crime incrivelmente desavergonhado".

Ela ressaltou que o assassinato de Khashoggi deve ser investigado de forma independente e imparcial, e que o acusado deve prestar contas.

Ela disse que é necessário permitir a inclusão também de especialistas internacionais com pleno acesso a provas e testemunhas para que a investigação "seja purificada de preocupações políticas".

"Estou satisfeita com as medidas tomadas pelas autoridades sauditas e turcas para investigar e julgar os supostos autores do assassinato de Khashoggi", disse ela.

Ela ressaltou que o exame forense e a autópsia do corpo da vítima são "elementos cruciais" em qualquer investigação de assassinato.

"Peço às autoridades sauditas que revelem onde estão os restos mortais (de Khashoggi) sem mais demora ou resposta evasiva", disse Bachelet.

Foi revelado que Jamal Khashoggi foi morto por uma equipe de execução saudita no Consulado Geral daquele país em Istambul, onde ele entrou em 2 de outubro para procedimentos oficiais.



Notícias relacionadas