Trump anuncia retirada dos EUA do tratado de armas nucleares assinado com a Rússia

O tratado sobre Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF, na sigla em inglês), foi assinado em 1 987 pelos presidentes dos Estados Unidos e da União Soviética, Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev, respetivamente.

1072922
Trump anuncia retirada dos EUA do tratado de armas nucleares assinado com a Rússia

Os Estados Unidos vão retirar-se do tratado de armas nucleares assinado com a Rússia durante o período da Guerra Fria, na sequência da declaração feita presidente Trump dos Estados Unidos. A justificação apresentada por Donald Trump para esta medida, são as violações do tratado por parte da Rússia.

“A Rússia não respeitou o tratado. Por isso, vamos pôr fim ao acordo e desenvolver as armas” - afirmou Donald Trump. 

O tratado sobre Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF, na sigla em inglês), foi assinado em 1 987 pelos presidentes dos Estados Unidos e da União Soviética, Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev, respetivamente.

“Não sei por que é que o presidente Obama não o renegociou ou não se retirou do tratado” – acrescentou ainda Trump, que disse também que “não vamos deixá-los violar o acordo nuclear e fabricar armas, enquanto nós não somos autorizados. Nós permanecemos e temos honrado o acordo. Mas a Rússia, infelizmente, não o respeitou”.

Washington retirou-se do tratado pelo facto da Rússia estar a desenvolver o sistema de mísseis 9M729, com um alcance estimado de 500 km. Esta distância constitui uma violação do tratado INF. O tratado foi assinado precisamente para pôr fim ao desenvolvimento de mísseis com um alcance entre os 500 e os 5 mil km, e pôs fim à crise desencadeada na década de 1 980 com a instalação dos mísseis SS-20 soviéticos, apontados às capitais do países ocidentais.

Na reação de Moscovo à decisão de Trump, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Riabkov, classificou a retirada dos Estados Unidos do tratado sobre armas nucleares como “um passo perigoso”. Riabkov considerou também que o acordo assinado durante a Guerra Fria é “significativo para a segurança internacional e para segurança nuclear, bem como para a manutenção da estabilidade estratégica”.

A retirada dos Estados Unidos do tratado, anunciada no sábado pelo Presidente Donald Trump, “será um passo muito perigoso que não será cumprido pela comunidade internacional e vai mesmo suscitar sérias condenações”.



Notícias relacionadas