Declaração final da Cúpula dos BRICS

O comunicado final enfatizou o apoio a um sistema comercial transparente e multilateral e pôs fim aos combates em diferentes regiões.

Declaração final da Cúpula dos BRICS

O comunicado final da 10ª Cúpula dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) organizado na cidade sul-africana de Johanesburgo foi divulgado.

No comunicado final, o apelo foi feito para apoiar um sistema de comércio transparente e multilateral e acabar com a luta contínua que ocorre em diferentes regiões do mundo.

"No âmbito das regras da Organização Mundial do Comércio, apoiamos e reafirmamos o comércio transparente e multilateral", citou o comunicado final.

Sabemos que o sistema multilateral de comércio enfrenta dificuldades inigualáveis ​​e queremos enfatizar a importância da economia global transparente", avaliou.

Em relação às decisões tomadas no campo energético, afirmou-se:

"Os Ministros da Energia do BRICS concordaram com a fundação da Plataforma Colaborativa para Pesquisa Energética dos BRICS".

Além da energia, na cúpula houve etapas colaborativas em diferentes questões, como problemas hídricos e agrícolas.

Por outro lado, foi anunciado que os membros do BRICS concordaram que um fim deve ser dado ao combate que continua em diferentes regiões do mundo, principalmente no Oriente Médio e Norte da África, e que o conflito Israel-Palestina não deve ser prolongado e a crise na Síria e no Iêmen.

"A solução para os longos confrontos não deve ser adiada, como é o caso do conflito Israel-Palestina. Uma decisão deve ser tomada sobre o problema de Jerusalém permanecer fiel às negociações entre Israel e a Palestina", disse o comunicado.

Os membros do BRICS também anunciaram que darão apoio total à Agência de Assistência aos Refugiados Palestinos no Oriente Próximo da ONU (UNRWA). Por sua vez, "eles parabenizaram a UNRWA por seu apoio em várias áreas a cerca de 5,3 milhões de refugiados palestinos, especialmente nas áreas de educação e saúde".

A cúpula terminará hoje com as reuniões dos ministros de Estado convidados no âmbito do "BRICS Plus" e da "Sessão Solidária BRICS África".



Notícias relacionadas