Putin declara-se triste pelo cancelamento da cimeira entre Trump e Kim Jong-un

O presidente russo e o seu homólogo francês Emmanuel Macron, responderam às perguntas dos jornalistas após o seu encontro de 4 horas.

979200
Putin declara-se triste pelo cancelamento da cimeira entre Trump e Kim Jong-un

O presidente russo Vladimir Putin encontrou-se com o seu homólogo francês Emmanuel Macron em S. Petersburgo. O encontrou durou 4 horas, após as quais os dois presidentes deram uma conferência de imprensa conjunta.

Os presidentes da Rússia e França falaram sobre os desenvolvimentos na Síria, na Ucrânia, Irão e na Península Coreana.

Sobre a situação na Síria, Putin disse que “a principal missão na Síria é a criação de uma comissão constitucional em Genebra (no âmbito da ONU), e o envio dos representantes de Damasco a esta estrutura. Nós e a França temos a mesma opinião a este respeito e apoiamos o processo de solução política para a Síria”.

Relativamente à situação na Ucrânia, Putin disse que foram dados passos para resolver a situação naquele país e indicou que “salientámos a importância de aplicar na íntegra o tratado de Minsk, para resolver a crise com estabilidade”.

Quando questionado sobre o cancelamento da cimeira entre o presidente Trump dos Estados Unidos e o líder norte-coreano Kim Jong-un, Putin disse o seguinte:

“Lamentamos o cancelamento da cimeira. Ela era um passo importante para reduzir a tensão na Península da Coreia. Vamos fazer tudo o que pudermos para aproximar os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e acreditamos que no final haverá uma cimeira. Sem haver uma cimeira, é impossível resolver um assunto desta importância”.

Falando depois sobre as sanções impostas pelos Estados Unidos ao Irão, o líder russo disse que “todas as restrições impostas contra países independentes, apenas podem ser decretadas pelo Conselho de Segurança da ONU. Todos os passos dados fora deste contexto carecem de valor jurídico”.

Por seu turno, Macron elogiou a posição internacional da Rússia e disse que “estamos conscientes da importância da Rússia na política internacional e no Médio Oriente em particular. A França toma decisões de forma independente, e mantém conversações com a Rússia com essa independência”.



Notícias relacionadas