Trump: Os EUA se retiram do Acordo

O presidente dos Estados Unidos (EUA) Donald Trump, anunciou que o seu país se retirará do acordo nuclear com o Irã.

966771
Trump: Os EUA se retiram do Acordo

Na conferência de imprensa realizada por Trump na Casa Branca, primeiro ressaltou as denúncias contra o governo iraniano.

Trump sugere que o Irã apóia organizações terroristas:

"O Irã é um Estado patrocinador do terrorismo. Usou a riqueza de seu próprio povo para isso. O Irã apóia o Hezbollah, o Hamas, os partidários do Talibã e da Al Qaeda", disse.

O líder dos EUA pontuou que o acordo nuclear com o Irã permitiu que este país enriquecesse urânio:"O acordo é uma vergonha. Este é um acordo unilateral. Se eu permitir o acordo nuclear o Oriente Médio viverá um armamento. Este acordo não impediu os objetivos do Irã na área. Não podemos impedir a bomba nuclear do Irã através deste negócio inescrupuloso", apontou.

Trump então anunciou a decisão que o mundo esperava:

"Estamos saindo do acordo", disse.

Além disso, o presidente dos EUA explicou que as sanções seriam reaplicadas ao Irã.

Trump também disse poderia trabalhar em um novo acordo com os países relacionados contra a "ameaça nuclear do Irã".

Expressou que o acordo nuclear com o Irã, e com o P5 + 1 países ( EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia, China e Alemanha) foi assinado em 2015.

Os países concordaram em suspender algumas sanções econômicas contra o programa nuclear do Irã por restrições.

Após a decisão de Trump, os olhos se voltaram para Teerã, onde se pergunta quais seriam as retaliações.

O presidente iraniano, Hasan Ruhani, disse que os EUA se arrependeriam se retirassem-se do acordo.

Enquanto isso, o presidente da Assembleia da Comissão Nuclear do Irã, Mücteba Zünnur, apontou que se os EUA saíssem do acordo nuclear iriam enriquecer urânio até que as necessidades de Teerã fossem satisfeitas.

O jornal Washington Post em um comentário fez a seguinte avaliação "se Trump se retirar do acordo, o diálogo que já é escasso será completamente cortado entre os EUA-Irã, aproximação e a possibilidade de reconciliação desaparecerá completamente".



Notícias relacionadas