ONU: "Que eles sejam responsáveis"

A ONU pediu que os agentes de segurança de Israel sejam responsabilizados pelos palestinos martirizados que participaram das manifestações da "Grande Marcha de Reconstrução" em Gaza.

960113
ONU: "Que eles sejam responsáveis"

Na declaração escrita feita pelo Comissariado Supremo dos Direitos Humanos da ONU, foi assinalado que nas manifestações que continuam a partir de 30 de março, o número de palestinos que caíram mártires no final do ataque aos soldados israelenses aumentou para 42 e outras 5.500 pessoas ficaram feridas.

A declaração diz que soldados israelenses atacaram civis que protestavam sem armas e de maneira pacifista.

Nessa declaração, foi enfatizado que atacar civis conscientemente por Israel em Gaza é uma violação aberta do Tratado de Genebra e Israel e ignora totalmente a lei internacional.

O comissário supremo dos direitos humanos da ONU, Zeid Ra'ad Al Hussein, reagiu ao uso de força excessiva aos palestinos por parte de agentes de segurança israelenses, dizendo: "Toda semana testemunhamos os eventos do uso de armas e força excessiva contra os manifestantes desarmados".

Hussein disse que, apesar de todas as advertências da ONU, Israel continua a atacar civis e pediu aos agentes de segurança israelenses que os responsabilizem por torturar e ferir os palestinos.



Notícias relacionadas