Somam 834 mortos em Guta Oriental onde os civis continuam a sofrer com as condições fatais

Mais 10 civis perderam as vidas desde ontem

Somam 834 mortos em Guta Oriental onde os civis continuam a sofrer com as condições fatais

Apesar da decisão do "cessar-fogo do humanitário" do Conselho de Segurança da ONU para as forças do regime sírio e seus apoiantes e a decisão da Rússia de cessar-fogo de 5 horas, 10 civis morreram em Guta Oriental

De acordo com os dados da Defesa Civil, o número de civis mortos nos ataques aéreos e terrestres perpetrados pelas forças do regime e seus apoiantes entre 19 de fevereiro e 5 de março no Guta Oriental controlado por adversários aumentou para 824.

Juntamente com os ataques de ontem, o número de civis mortos atingiu 834.

O Conselho de Segurança da ONU solicitou, em 24 de fevereiro, um cessar-fogo humanitário em toda a Síria, particularmente em Guta Oriental. Mas não ficou claro como esse cessar-fogo começaria, o que deveria entrar em operação "sem demora".

A Rússia, por sua vez, anunciou que a trégua começaria a vigorar a cada dia entre as 09:00 e as 14:00 horas locais. E adiantou que o regime se adaptaria a isso.

Em Guta Oriental, que é controlada por oponentes, vivem 400 mil pessoas sob cerco por cinco anos. Nas negociações de Astana, Guta Oriental foi anunciada como uma "zona de tensão reduzida", mesmo assim, o regime de Assad, cujo país de garante é a Rússia, reforçou seu cerco na área desde abril passado e aumentou seus ataques nos últimos meses . Na área em que a crise humanitária está a piorar, milhares de civis, incluindo pessoas doentes, estão à espera de serem evacuados.

Muitos pacientes com câncer, bebês e crianças perderam as vidas devido à falta de medicamentos e produtos alimentares.



Notícias relacionadas