Primeiro-Ministro de Malta pede eleições rápidas em meio a ameaças familiares

O primeiro ministro maltês Joseph Muscat convocou eleições para o dia 3 de junho, um ano antes, para testar sua popularidade, após as alegações de que sua esposa possui uma empresa offshore no Panamá.

Primeiro-Ministro de Malta pede eleições rápidas em meio a ameaças familiares

O primeiro-ministro maltês Joseph Muscat, na segunda-feira, convocou uma eleição geral para o dia 3 de junho, um ano antes do final de seu mandato, respondendo a alegações de um importante blogueiro sobre negócios impróprios de sua esposa.

Muscat negou alegações de que sua esposa, Michelle, possui uma empresa offshore criada secretamente no Panamá, enquanto um inquérito magistral foi lançado. Ter uma empresa offshore não é ilegal.

"Todo mundo sabe sobre os ataques feitos nos últimos dias contra mim e minha família, não tenho nada a temer porque a verdade está do meu lado e estou limpo", disse Muscat sobre as alegações, que denunciou como mentiras.

"No entanto, o meu dever não é apenas proteger-me, mas também proteger o meu país, e não tolerarei uma situação em que os postos de trabalho sejam perdidos devido à incerteza. Não podemos permitir que a incerteza diminua o ritmo do milagre econômico de Malta".

Ele disse em um comício de seu Partido Trabalhista, que na segunda-feira ele pediria ao presidente de Malta, que atualmente detêm a presidência rotativa da União Européia, para dissolver o parlamento.

Muscat foi eleito com uma forte maioria em 2013 e as pesquisas de opinião em dois jornais no domingo mostraram que o Partido Trabalhista liderava o Partido Nacionalista de oposição em 4 pontos percentuais.

Muscat tem sido impulsionado por um forte desempenho econômico, incluindo um desemprego recorde, um superávit financeiro do governo e um crescimento constante superior a 3,5%

Fonte: TRTWorld e agências


Etiquetas: Malta

Notícias relacionadas