Tribunal indiano apoia proibição de carne durante o Eid

Proibição de venda e posse de carne dificultam as celebrações do sacrifício.

Tribunal indiano apoia proibição de carne durante o Eid

Um tribunal de Mumbai rejeitou os apelos para o relaxamento de uma proibição de carne, durante o período de quatro dias das celebrações do Eid muçulmano esta semana.

Petições de grupos muçulmanos tinham clamado á Suprema Corte de Bombaim para rever isenções à proibição imposta pelo Estado de Maharashtra em março.

A proibição feita á venda, posse de carne bovina e o abate de bois e bezerros são puníveis por até cinco anos de prisão. O abate de vacas foi proibido em 1976.

O tribunal decidiu que não poderia relaxar a proibição temporariamente, pois a decisão cabia ao governo do estado.

Os muçulmanos celebram o Eid al-Adha, ou festa do sacrifício, entre os dias 25 á 28 de setembro relembrando a prontidão do Profeta Ibrahim (Abraão) de se submeter á vontade de Deus e sacrificar seu filho.

As celebrações centram-se sobre o abate de animais.

A proibição em Maharashtra tornou-se uma questão política para o partido no governo Bharatiya Janata. Proibições semelhantes existem em outros estados da Índia onde a maioria hindu venera o gado.


Etiquetas:

Notícias relacionadas