WikiLeaks revela espionagem da NSA sobre o Japão

WikiLeaks libera documentos que indicam que NSA espionava funcionários do governo japonês e empresas privadas.

WikiLeaks revela espionagem da NSA sobre o Japão

De acordo com documentos divulgados pelo WikiLeaks na sexta-feira 09:00 CEST (08:00 GMT), os Estados Unidos tem espionado funcionários e empresas japonesas.

Os documentos - chamados de "Alvo Tóquio" pelo WikiLeaks - listam 35 alvos secretos da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) no Japão, e WikiLeaks diz que estes incluem
o Gabinete japonês e empresas japonesas como a Mitsubishi.

Os documentos divulgados também incluem "interceptações relativas às relações EUA-Japão, negociações comerciais e estratégia de mudança climática sensível."

Em uma declaração que acompanhava a divulgação do documento, o editor-chefe do WikiLeaks, Julian Assange disse: "A lição para o Japão é esta: não espere que uma superpotência de vigilância global tenha honra e respeito em suas ações."

A espionagem da NSA sobre o Japão remonta pelo menos a primeira administração do primeiro-ministro Shinzo Abe, que WikiLeaks diz que durou de setembro de 2006 até setembro de 2007.

O WikiLeaks diz que a NSA interceptou os telefones do gabinete japonês, o secretário-executivo Yoshihide Suga, bem como numerosos funcionários dentro do Banco Central japonês e Ministério das Finanças japonês.

A lista de alvos inclui também empresas do setor privado, como a Divisão de Gás Natural da Mitsubishi e da Divisão de Petróleo da Mitsui.

O WikiLeaks revelou quatro relatórios com base nas interceptações e classificados como "muito secretos" pela NSA, uma das quais é autorizado para divulgar para parceiros da inteligência dos Estados Unidos: Austrália, Canadá, Grã-Bretanha e da Nova Zelândia.

As notas divulgadas pela imprensa indicam"a intensidade da vigilância dos EUA sobre o governo japonês", com a editora de investigações do WikiLeaks perguntando "A publicação de hoje nos mostra que o governo americano direcionou a política industrial e as políticas de mudanças climáticas japonesas. Será que a eficácia da indústria e as alterações climáticas propostas pelo Japão seriam diferentes hoje, se as suas comunicações tivessem sido protegidas?"

O Japão foi descrito como "um dos principais aliados dos Estados Unidos no mundo" pelo presidente dos EUA Obama durante uma recente visita ao Japão. Os documentos do WikiLeaks provavelmente irão afetar a relação entre os dois países.

O WikiLeaks já havia divulgado documentos que implicam a NSA em espionar os governos do Brasil, França e Alemanha.


Etiquetas:

Notícias relacionadas