Zarif: "Não se importam com o sangue dos inocentes nem com os 7 bilhões de dólares"

Ao descrever Netanyahu como um "pastor mentiroso" apontando para o próprio arsenal nuclear de Israel, o ministro disse que Netanyahu fala sobre a suposta instalação demolida do Irã

Zarif: "Não se importam com o sangue dos inocentes nem com os 7 bilhões de dólares"

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamed Javad Zarif, respondeu ao primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, que disse que o Irã está desenvolvendo armas nucleares em uma planta clandestina.

Ao responder a Netanyahu por meio de suas mensagens no Twitter com a etiqueta de Trump, Zarif compartilhou as imagens do discurso de Netanyahu no Congresso dos EUA em 2002, pelo qual elogiou a ocupação americana no Afeganistão e pediu a ocupação do Iraque.

Donald Trump, você sabia que Netanyahu foi um dos que empurrou os EUA para o pântano do Afeganistão? O pântano que você não conseguia sair. Era o seu slogan "guerra ao último soldado americano" desde 1986 ", expressou.

Ao descrever Netanyahu como um "pastor mentiroso" apontando para o arsenal nuclear de Israel, o ministro pontuou que Netanyahu fala sobre a suposta instalação demolida do Irã. 

“Ele e sua equipe B (falcões liderados por Bolton) só querem guerra. Eles não se importam com o sangue dos inocentes ou com os 7 bilhões de dólares. 

”Referindo-se ao discurso de Netanyahu, que garantiu que "a guerra no Iraque teria efeitos positivos", Zarif enfatizou que Israel também se tornará alvo de uma provável guerra com o Irã, dizendo que "Netanyahu não será absolutamente a parte que observa esta vez" .

"Zarif compartilhou a imagem da tela de uma notícia antiga datada de 1986, intitulada "Segredos do arsenal nuclear israelense", quando a usina nuclear de Dimona foi decifrada.

Trump informou que seu país gastou 7 bilhões de dólares em guerras no Oriente Médio, mas não obteve nenhum resultado.

Em seu discurso na segunda-feira, Netanyahu disse que o Irã está desenvolvendo armas nucleares em uma usina secreta em Abade e a destruiu quando soube que havia sido tornada pública.



Notícias relacionadas