Seis nações pedem o fim imediato da violência na Líbia

"Precisamos reativar a mediação da ONU, preparar eleições parlamentares e presidenciais confiáveis", diz um comunicado conjunto.

Seis nações pedem o fim imediato da violência na Líbia

AA - Egito, França, Itália, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos reiteraram sua preocupação com as hostilidades em andamento em Trípoli e conclamaram a Líbia a retornar ao processo político mediado pela ONU.

Em uma declaração conjunta publicada na terça-feira, as seis nações pediram uma redução "imediata" e uma suspensão da atual luta.

"Não pode haver uma solução militar na Líbia", disse o comunicado.

Expressando preocupação com a persistência das tentativas de grupos terroristas para "explorar o vácuo de segurança" no país, a declaração apelou a todas as partes envolvidas no conflito em Trípoli que "dissociar-se de todos os terroristas."

"Precisamos reativar a mediação das Nações Unidas que visa promover um governo de transição que representa todos os líbios se preparar para eleições parlamentares e presidenciais credíveis, permitir uma repartição equitativa dos recursos e promover a reunificação do Banco Central da Líbia e outras instituições soberanas da Líbia".

A violência ceifou a vida de quase 1.100 pessoas, desalojou mais de 100 mil pessoas e alimentou uma crescente emergência humanitária no país, segundo o comunicado.

As rígidas divisões políticas do país geraram dois assentos rivais de poder, um em Tobruk liderado pelo comandante Khalifa Haftar, outro reconhecido pela ONU em Trípoli, e uma multidão de grupos milicianos fortemente armados.



Notícias relacionadas