Acordo para formar governo no Iraque depois das eleições de 12 de maio

O primeiro ministro do Iraque, Haider al-Abadi, indicou que se chegou a acordo para a criação de um governo com a participação do líder xiita Moqtada al-Sadr, o vencedor das eleições gerais de 12 de maio. O novo executivo contará também com tecnocratas.

Acordo para formar governo no Iraque depois das eleições de 12 de maio

O primeiro ministro do Iraque, Haider al-Abadi, indicou que se chegou a acordo para a criação de um governo com a participação do líder xiita Moqtada al-Sadr, o vencedor das eleições gerais de 12 de maio. O novo executivo contará também com a participação de tecnocratas.

Durante uma conferência de imprensa realizada em Bagdade, a capital do Iraque, Abadi disse que “estive em conversações com Moqtada al-Sadr. Acordamos sobre a criação de um governo que irá ser composto por tecnocratas, longe do exclusivismo e sectarismo que caracteriza todos os partidos políticos”.

Abadi disse também que as suas portas estão abertas para negociar com todos os grupos políticos que participaram nas eleições, e criticou o apelo à criação de um governo de maioria política, feito pelo presidente Nuri Al-Maliki. O primeiro ministro iraquiano acrescentou ainda o seguinte:

“Não podemos fazer política afastando alguns grupos. Este é um método errado. Devido a estas ideia, o grupo terrorista DAESH entrou no nosso país e ocupou um terço do território”.

Abadi fez um apelo aos grupos políticos para que se reúnam o mais depressa possível, e para que comecem as sessões parlamentares:

“Considero que a formação do governo, ao contrário do que se passou antes, deverá acontecer rapidamente”.

O primeiro ministro Abadi falou também sobre as alegações de fraude eleitoral, tendo apelado ao Supremo Comité Eleitoral do Iraque para que avalie as queixas sobre a transparência das eleições: “O comité não tem o direito de apoiar nenhum candidato ou coligação”.


Etiquetas: Iraque , Abadu , eleições

Notícias relacionadas