Operação de Mossul continua deixando muitos terrorista mortos

Apesar dos progressos feitos na operação, destaca-se como um grave problema a brutalidade do DAESH em usar civis como escudos humanos

Operação de Mossul continua deixando muitos terrorista mortos

Foram mortos mais de 100 terroristas do DAESH em ataques aéreos realizados no quadro da operação para salvar Mossul do grupo terrorista.

A Rede de Mídia de Comunicação de Guerra do Ministério da Defesa iraquiana anunciou que aviões de combate F16 bombardearam 5 posições do DAESH na cidade iraquiana de Mossul na sequência da inteligência obtida.

Nesta linha, foi relatado que 67 terroristas foram mortos no ataque aéreo contra o Hotel Oberoi. Foi também tomado como alvo uma área arborizada, onde 29 terroristas foram mortos, e outros 25 foram feridos.

Em outros ataques mais 20 terroristas foram inativados e 15 foram feridos.

O oficial do exército iraquiano, Jabbar Hasan, disse que o grupo terrorista DAESH sequestra centenas de civis para servir como escudos humanos com antecedência em áreas militares em Mossul.

"Os terroristas do DAESH abandonaram munições e se retiraram para o centro de Mossul mas enfrentamos o problema do uso de civis como escudos humanos pelo grupo. Esta situação irá evitar em grande escala o nosso progresso. "

O primeiro-ministro iraquiano Haidar al-Ibadi, organizou uma conferência de imprensa na qual ele disse que o DAESH usa civis como escudos humanos e procurar concluir a operação com o mínimo de perdas possíveis.

Abu Mehdi al-Muhendis, o comandante das milícias xiitas Hashdi Shaabi disse que existe um terreno rochoso na frente ocidental e que os membros do DAESH mostram resistência nestas áreas.

Muhendis transmitiu que buscam romper a Frente Ocidental em Mossul para salvar completamente a cidade Tal Afar.

O exército iraquiano e os Peshmerga e os combatentes de Nínive, a maioria dos quais foram treinados por soldados turcos no campo Bashika, começaram a operação de Mossul em 17 de outubro.



Notícias relacionadas