Boris Johnson, da negação do coronavírus aos cuidados intensivos

O primeiro-ministro britânico entrou nos cuidados intensivos na segunda-feira, devido à deterioração do seu estado de saúde. Aqui fica um breve relato do seu desempenho durante a pandemia.

1394465
Boris Johnson, da negação do coronavírus aos cuidados intensivos

AA - O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, foi admitido nos cuidados intensivos na noite de segunda-feira, dez dias depois do seu diagnóstico de coronavírus.

A situação atual de Johnson é estável, mas a sua doença aconteceu por causa do seu comportamento durante a pandemia. Aqui fica um breve relato do seu desempenho neste assunto:

A 28 de fevereiro, Johnson visitou um hospital e tirou fotos com pacientes com COVID-19.

A 3 de março, Johnson disse: "Eu estive num hospital com vários pacientes de coronavírus ontem à noite. Apertei as mãos deles e continuarei a apertar as mãos".

A 6 de março, Johnson disse  após a primeira morte por coronavírus no país, que tudo permaneceria igual e aconselhou os britânicos a lavarem as mãos durante 20 segundos.

A 9 de março, o primeiro-ministro reuniu-se  com a sua noiva grávida, Carrie Symonds, lado a lado com a rainha Isabel II, o príncipe Carlos e outros membros da família real, por ocasião do dia da Commonwealth.

A 11 de março, presidiu a reunião semanal do gabinete, participou na sessão de perguntas ao primeiro ministro no Parlamento e realizou a reunião semanal regular com a rainha. Esta foi a última reunião cara-a-cara do primeiro-ministro com a rainha.

A 12 de março, Johnson disse: "Devo falar honestamente. Muitas famílias perderão os seus entes queridos" - acrescentando que o país está a passar por uma das piores crises de saúde pública.

A 16 de março, o líder britânico pediu ao público que não tivesse contato com outras pessoas e cancelasse todas as viagens desnecessárias.

A 18 de março, Boris anunciou que todas as escolas no Reino Unido seriam fechadas a partir de 20 de marçom até nova indicação.

No dia 20 de março, Johnson anunciou que lugares como cafés, bares, restaurantes e teatros seriam fechados.

23 de março: anúncio do encerramento de todos os negócios, exceto supermercados e farmácias, e do recolher obrigatório.

27 de março: Johnson anunciou que o seu teste ao coronavírus deu positivo e que ele se iria isolar, mas continuaria a trabalhar.

31 de março: primeira reunião do Conselho de Ministros por videoconferência.

A 5 de abril, Boris Johnson foi hospitalizado, 10 dias após o seu diagnóstico. O Primeiro Ministério disse tal aconteceu apenas por prevenção.

6 de abril: o primeiro-ministro entrou nos cuidados intensivos, onde está a receber oxigénio.



Notícias relacionadas